quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Prioridades Para a Juventude Petista

Nos Aproximamos do I Congresso de Juventude do Partido dos Trabalhadores, devemos aproveitar ao máximo esse momento e debater a fundo TODAS as frentes de atuação da Juventude Petista e quais serão as prioridades da JPT no próximo período pós Congresso. Saímos do III Congresso do Partido dos Trabalhadores com importantes conquistas, agora cabe a cada Jovem Petista ir a luta nesse período.

Enfim pontuo a seguir o que este Congresso deve aprofundar em um amplo debate, algumas prioridades organizacionais que devem ser colocadas no debate sobre Concepção e Funcionamento, não podemos deixar de priorizar pontos como formação politica, movimentos sociais, comunicação e outros:

1) Senso da Juventude: Antes de qualquer futura ação pós Congresso a Direção da Juventude Petista deve mobilizar os estados para fazer um senso nacional de Juventude onde possamos saber quantos são os Jovens Filiados, onde estão, onde atuam e quem são estes militantes. Um Senso Jovem servirá para que a Juventude Petista possa organizar uma estratégia de luta em todas as frentes que pudermos identificar. Não será apenas um Senso Numérico, mas um senso de atuação política, ou seja vamos nos perguntar "Qual a cara da Juventude Petista?".

2) Organização da Juventude: Deve -se Construir um Plano de Metas, onde devemos Priorizar a Organização da Juventude Petista em cada Estado, depois organizarmos cada Capital, depois Massificar a construção da Juventude Petista nos Municípios com mais de 100 mil habitantes e seguir para os Municípios Menores. Essa organização tem o objetivo de criar a Juventude Petista onde existe Diretório Organizado e consolidar sua base em todo o País.

3) Comunicação: Quando tivermos os dados do Senso da Juventude, podemos planejar uma política de comunicação em massa com esse jovem a nível nacional, criando dispositivos de comunicação eficazes como temos hoje o site nacional da Juventude Petista que está sempre atualizado e um Boletim Eletrônico, são meios importantes de comunicação, mas é bom lembrarmos que ainda existem Cidades no interior do País que a Internet infelizmente não chegou. Como por exemplo podemos criar um Jornal Mensal da Juventude Petista, enviado diretamente para o jovem filiado e DM's do País, que deve funcionar como um meio de luta contra a grande mídia nacional, será um contraponto ideológico de manter o jovem informado. Se quisermos regionalizar um pouco mais nossa "Mídia Alternativa" podemos criar Jornais Estaduais que tenham noticias do Estado e do País e a direção Nacional pode se encarregar de materiais mais específicos como por exemplo Cartilhas de Formação política e publicações desse gênero.

4) Formação Política: A Juventude Petista não deve simplesmente se manter informada de fatos, mas deve ter ampla e profunda formação política continuada. A Direção da Juventude Petista deve em conjunto com a Fundação Perseu Abramo constituir uma política de formação continuada, onde o Jovem Militante nunca deixe de ter "grandes doses" de ideologia, pois a teoria leva que a prática possa ser perfeita ou se aproximar disso. Não podemos mais pensar em Cursos de Formação Política apenas para Jovens Dirigentes, ou seja para alguns grupos de filiados, deve-se constituir um mecanismo de formação nacional desde o militante municipal ao dirigente jovem nacional.

5) Movimentos Sociais: Antes de falar de Movimentos Sociais, temos que pensar em uma coisa simples: Todos os Movimentos Sociais tem igual importância, não exite movimento social mais ou menos prioritário, a Juventude Petista deve construir e priorizar todos, para isso temos uma pluralidade de atuação militante muito grande desde o Movimento Estudantil até o Movimento Sindical. Tudo isso deve ser valorizado. Podemos hoje mapear muitos movimentos que tem jovens Petistas construindo e articulando: O Movimento Secundarista, o Universitário (Não podemos nos esquecer dos Companheiros Pós Graduandos), o cultural, o esportista, o feminista, o GLBTT, o Sindical, o Negro, o Ambiental, o Movimento de Integração Latino Americana, e Militantes de Ongs e Associações ( Listei mais de dez frentes de atuação, mas tenho certeza que esqueci de outras frentes). Assim a Direção da Juventude Petista deve se articular com cada Movimento e garantir amplo debate dentro do Partido, além de unir todas essas causas de luta em torno de nosso projeto de sociedade livre e igualitária. Não podemos nos esquecer de focarmos na disputa dos Movimentos Sociais com Uma Estratégia especifica para cada Movimento e Organização.

6) Espaço Partidário: É um erro do Jovem Petista se limitar a atuar apenas na Juventude do PT. Hoje conquistamos que a Juventude Petista não deve ser um Setorial e sim um Órgão mas essa conquista só veio depois de 27 anos! Será que as Direções Partidárias não perceberam que o Modelo de Setorial só dificultava a atuação da Juventude? Para isso devemos lutar para estabelecermos dentro de cada Diretório (Municipal, Estadual ou Nacional) com direito a voz e voto, devemos debater como vamos fazer isso, podemos lutar por cotas de juventude nos Diretórios ou conquistarmos com ampla mobilização da Juventude, pela Direção Nacional da Juventude com uma campanha massiva em cada PED para que os Diretórios tenham um mínimo de Jovens filiados. O Jovem Petista deve ter espaço irrestrito em todos os espaços e processos partidários, sejam estes processos a montagem de teses, planos de governo, estratégia eleitoral e etc. A juventude Petista deve estar presente em tudo.

7) Políticas Públicas Para a Juventude: Hoje temos experiências de PPJ em vários Governos Petistas, de Prefeituras a Governos Estaduais e do Próprio Governo Federal, mas acho que isso ainda é pouco. A Juventude do PT deve elaborar Um Modelo de PPJ, o Partido dos Trabalhadores tem o "Modo Petista de Governar" e o "Modo Petista de Legislar", a Juventude do PT deve criar " O PPJ Petista Para Revolucionar!", temos um bom acumulo de experiencias feitas em vários Municípios, devemos sistematizar e criar uma Cartilha Ampla destas experiencias e aprofunda-las. Como Jovens devemos criar uma PPJ que seja democrática e popular e implementa – la nos Conselhos de Juventude e cada espaço institucional que temos inserção.

8) Disputa Institucional: Conhecendo a Juventude Petista, tendo uma estreita comunicação com ela, formando – a politicamente a cada momento, tendo o acumulo de modelos de gestão dos diversos Movimentos Sociais, tendo o devido espaço dentro do Partido e um Projeto de Política Pública Para Juventude em geral, cabe a Juventude Petista incentivar e apoiar Candidaturas Jovens e partir para a disputa institucional, pois se um Jovem Petista consegue coordenar amplos Movimentos, muitas vezes até Movimentos Nacionais, ele também consegue enfrentar a luta politica institucional dentro de seus Municípios e Estados. Temos o dever de acabar com essa visão dominante que a Juventude é um local de estágio dentro do Partido, devemos mostrar que a Luta da Juventude é onde se pode construir grandes debates sociais e políticas públicas para serem implementadas em nossa Sociedade. Devemos lutar por inserção em cada espaço político seja em Parlamentos ou no Poder Executivo.

Não Vejo essas prioridades sendo feitas por etapas, acredito que a Direção da Juventude Petista pode coordenar ações que viabilizem essas prioridades em conjunto, podendo construir Grupos de Trabalho ou Comissões Permanentes para aprimorar nossa atuação quanto Juventude Organizada, esses 08 Pontos sistematizam um pouco do que pode ser nossa luta presente e futura, a Juventude Petista não pode se limitar a apenas a um segmento ou apenas uma luta, pois como a Luta dos Trabalhadores é Universal a Luta da Juventude também é Universal, sem limites geográficos, ideológicos ou Políticos.




******Artigo de Marcello Barbosa

sábado, 12 de janeiro de 2008

Balanço da UMES - Itaquá em 2007

Este Ano ficou evidente que a UMES - Itaquá está muito fortalecida dentro e fora do Municipio, além de sua luta estar mais efetiva, ela tem uma atuação legitima e guerreira.

Tudo isso Graças a Sua Excelente Diretoria e aos Grêmios Estudantis da Cidade...

Veja Seu Balanço de Atuação:

***18 / 05 / 2007: III Congresso da UMES – Itaquaquecetuba;
***07 / 06 / 2007: Participação no Concurso Municipal de Tapetes Corpus Crhistis;
***22 / 06 / 2007: Participação da Conferencia Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente;
*** 30 / 06 / 2007: Reunião da Diretoria da UMES – Itaquá com o CMG (Conselho Municipal de Grêmios;
***19 / 07 / 2007: Assume Interinamente a 1º Tesouraria da UPES (União Paulista dos Estudantes Secundaristas);
***27 / 07 / 2007: Presença na Posse do Novo Conselho Tutelar;
***11 / 08 / 2007: Apoio na Fundação do Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Vila Arizona;
***11 / 08 / 2007: Intervenção na Reunião de Comemoração do Dia do Estudante da UPES;
***15 / 08 / 2007: Participação na Conferencia Regional dos Direitos da Criança e do Adolescente;
***17 / 08 / 2007: Realização de Debate Sobre o Movimento Estudantil na EE Recanto Mônica;
***20 / 08 / 2007: Participação no Manifesto Pela Educação Pública em Itaquá organizado pela APEOESP;
***21 / 11 / 2007: Reunião com os Diretores de Escola de Itaquaquecetuba;
***24 / 08 / 2007: Participação em Manifesto Pela Educação na Praça da Sé;
***06 / 09 /2007: Participação no 10° CONEG (Conselho Nacional de Entidades Gerais) da UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) em São Paulo;
***07 / 09 / 2007: Participação no CEEG (Conselho Estadual de Entidades Gerais) da UPES (União Paulista dos Estudantes Secundaristas);
***10 / 09 / 2007: Participação na Conferencia Lúdica Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente em São Paulo;
***19 / 09 / 2007: Presença no Lançamento da Frente Parlamentar Por Política Públicas Para a Juventude em São Paulo;
***22 / 09 / 2007: Apoio na Fundação da Ong MARES (Movimento de Apoio a Reconstrução Social) no Parque Marengo;
***06 / 10 / 2007: Apoio na Reconstrução da UEO (União dos Estudantes de Osasco);
***21 / 10 / 2007: Apoio na Reconstrução do Centro de Apoio as Comunidades Carentes de Itaquaquecetuba (CACCI);
***23 / 10 / 2007: Participação na Reunião do Plano Municipal de Convivência familiar em Itaquaquecetuba, elegendo um Membro Efetivo e um Suplente para compor o Plano Municipal sobre Convivência Familiar e Comunitária ;
***24 / 10 / 2007: Participação na Conferencia Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente;
***15 / 11 / 2007: Participação no 14° Congresso da UPES em Taboão da Serra;
***20 / 11 / 2007: Manifestação na Camara dos Vereadores revindicando apoio para que os estudantes de Itaquaquecetuba pudessem participar do 37° Congresso da UBES;
*** 27 / 11 / 2007: Segunda Manifestação na Camara dos Vereadores revindicando apoio para que os estudantes de Itaquaquecetuba pudessem participar do 37° Congresso da UBES;
*** 04 / 12 / 2007: Terceira Manifestação na Camara dos Vereadores revindicando apoio para que os estudantes de Itaquaquecetuba pudessem participar do 37° Congresso da UBES;
***05 / 12 / 2007: Realização do II Fórum Municipal de DST / AIDS Para Adolescentes;
***07 / 12 / 2007: Participação no 37° Congresso da UBES em Goiânia.

E 2008 a UMES - Itaquá já inicia sau atividades a todo Vapor com sua Reunião de Planejamento dia 19 de janeiro...

A MUDANÇA NÃO ESTÁ MAIS CHEGANDO, ELA JÁ CHEGOU!!!!!!




******Artigo de Marcello Barbosa

Pesquisa Revela: 50 Jovens Morrem Por Dia no Brasil

Diariamente, cerca de 50 jovens são assassinados no BrasilEstudo mostra que homícidios de jovens crescem 6% ao ano no país.
Pesquisa inédita aponta que quase cinqüenta jovens são assassinados diariamente no Brasil.

Usando dados do Ministério da Saúde, o sociólogo Julio Jacobo, do Instituto Sangari, mostra que, para cada cem mil jovens entre 15 e 24 anos de idade, 48,6 são vítimas de homicídio anualmente. Entre os adultos, o índice é de 25,8. "Nossos homicídios cresceram a uma taxa de 6% ao ano nos últimos 20 anos", informa Jacobo.

No Brasil, desde 1995, aconteceram 296.622 mortes de jovens por causas violentas. Até o fim da década de 1970, o número de jovens mortos no trânsito, de 4.373, era maior do que o número de jovens assassinados (3.266).

Nas últimas décadas, as mortes no trânsito quase dobraram, passaram de oito mil, mas foram superadas - de longe - pelos homicídios, que chegam perto de 18 mil em um único ano.

Somente em 2006, foram 17.163 homicídios de jovens com idades entre 15 e 24 anos. É quase a média anual de mortos na guerra civil que terminou em 2002 em Angola, na África.

Em alguns lugares do Brasil o número de jovens assassinados atinge níveis ainda mais alarmantes. Há municípios em que as taxas são até quatro vezes maiores do que a média nacional, que já é considerada extremamente alta.

Foz do Iguaçu
No mapa da violência, considerando capitais e municípios do interior, a mais alta taxa de homicídios entre jovens aparece em uma cidade do Sul do país. Foz do Iguaçu, na fronteira do Brasil com a Argentina e o Paraguai, é uma região apontada pela polícia como eixo do contrabando e tráfico. Em 2006, foram 251,4 mortes para cem mil habitantes.

No Recife, capital mais violenta, a reação partiu de um grupo de jovens repórteres policiais, que criou o blog o Pebodycount (www.pebodycount.com.br), em que publicam diariamente o número de assassinados no estado de Pernambuco.

No local de cada crime ocorrido, os jornalistas pintam a silhueta de um corpo, em vermelho. São entre 10 e 12 novas marcas todos os dias, das quais 40% representam jovens. "A gente quer mostrar que aquela vida perdida não pode ser esquecida no outro dia", aponta o jornalista Carlos Eduardo Santos, que participa da iniciativa.



*****Fonte: Site da Juventude do PT Nacional

A Saída, Mais Uma Vez é Crescer

Começamos o ano com boas notícias. Basta passar o olho pelas manchetes dos jornais ou acompanhar o noticiário no rádio e na tevê. Não há como esconder a excelente situação da economia. O país sobe no ranking mundial de otimismo, ocupando a 11ª posição entre 34 países, com índice de 70%. Os fundos de investimentos captaram R$ 44,7 bilhões em 2007 e já têm um patrimônio de R$ 1,106 trilhão, sinal de maturidade de nossa economia e de um ciclo onde os investimentos dão a dinâmica do crescimento sustentado.

Com a expansão da produção industrial em 6% em 2007, segundo o IBGE, os investimentos na área de bens de capital cresceram 19,5% até novembro, a venda de máquinas agrícolas 49,1% e a produção na indústria automobilística 15,1%, o melhor ano da história das montadoras no Brasil. Para completar o cenário, uma inflação baixa de 4,39% no índice IPCA, juros em queda e crescimento estimado em 5,2% em 2007 e mais de 4,5% em 2008.

Ou seja, temos tudo para continuar criando empregos, 2 milhões em 2007, e distribuindo renda. Apesar de seu conservadorismo, o próprio BC reconhece que a desaceleração da maior economia do mundo, tudo indica, não atingiu e não atingirá o Brasil, que tem autonomia alimentar e energética, reservas e contas públicas em razoável situação de equilíbrio.

A questão, então, é como enfrentar o desafio de manter o crescimento, frente à perda de R$ 40 bilhões do Orçamento Geral da União, com o fim da CPMF, sem se deixar levar pelos caminhos fáceis da ortodoxia dos cortes de gastos públicos ou de uma política fiscal irresponsável. Nada mais pernicioso para o país que um corte linear no orçamento, principalmente nos investimentos. E nada mais arriscado que enviar uma mensagem de pânico ao mercado, como se o governo e o país não tivessem instrumentos para administrar esse brutal corte no orçamento.

Acredito que a saída é uma só – crescer. Só o crescimento aumenta as reservas, a arrecadação, inclusive da Previdência Social, o emprego e viabiliza a continuidade da diminuição do déficit nominal e da relação dívida PIB, com a manutenção de reservas cambiais. Mas, para que isso seja fato, é preciso manter os investimentos e dar continuidade à reforma tributária e à queda dos juros, até para evitar uma aceleração da valorização do real e suas conseqüências na política comercial do país, já bastante afetada pelo fortalecimento da nossa moeda.

O que interessa é manter a taxa de crescimento do investimento acima do índice de expansão do PIB. O governo tem instrumentos para tanto, não só por meio dos recursos do PAC, como os do PPI que não contam para o superávit primário. E já marcou ponto importante ao aumentar em R$ 12,5 bilhões o capital do BNDES, o que permitirá sustentar um nível crescente de financiamento dos investimentos em 2008. Mas é preciso que o BC corte a taxa Selic e mantenha a economia numa perspectiva de crescimento, já que os investimentos vêm se ampliando de forma satisfatória, afastando, assim, qualquer risco de inflação de demanda.

Entre as medidas para não só manter como acelerar o crescimento, é hora de o país desonerar fortemente os bens manufaturados de exportação e criar zonas especiais para estimular não só as vendas no exterior como o acesso a tecnologia, a criação de empregos e o aumento da produtividade geral de nossa economia. Mas a criação dessas zonas especiais tem de ser articulada com políticas industriais que contemplem a vocação regional e articulem toda a cadeia produtiva para que não se transformem, a exemplo de vários exemplos que temos no país, em zonas de importação privilegiada de insumos estrangeiros e de maquiagem de produtos “made in Brazil”.

Com foco e determinação na implementação de medidas como essas, podemos esperar um 2008 melhor que o ano que se encerrou, consolidando um ciclo não só de crescimento, mas de desenvolvimento econômico e social do nosso Brasil.

*****Artigo de José Dirceu de Oliveira e Silva

sábado, 5 de janeiro de 2008

Música Recomendada

METAL CONTRA AS NUVENS
(Dado Vila Lobos / Renato Russo / Paulo Bonfá)

I
Não sou escravo de ninguém
Ninguém é senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz.
Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais.S
ou metal, raio, relâmpago e trovão
Sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Sou metal, me sabe o sopro do dragão.
Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição,
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.
Minha terra é a terra que é minha
E sempre será minha terraTem a lua,
tem estrelas e sempre terá.

II
Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa.
Quase acreditei, quase acreditei
E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.
Olha o sopro do dragão...

III
É a verdade o que assombra
O descaso que condena,
A estupidez o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe maisT
enho os sentidos já dormentes,
O corpo quer, a alma entende.
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos.
Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.
Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então.

IV-
Tudo passa, tudo passará...
E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe para trásApenas começamos.
O mundo começa agoraApenas começamos.
Ocorreu um erro neste gadget

Simplicidade é Tudo...

Simplicidade é Tudo...
A Complexidade é Simples...