quarta-feira, 18 de junho de 2008

Dep. Zarattini será o Coordenador de Campnha de Marta Suplicy!

Em reunião no diretório municipal no dia 9 de junho, o PT escolheu Carlos Zarattini como o coordenador geral da campanha da ex-prefeita Marta Suplicy à Prefeitura de São Paulo. Rui Falcão, ex-secretário de governo, será o coordenador de Relações Institucionais e Jorge Wilheim, urbanista, será o coordenador do programa de governo.

O ex-secretário municipal Valdemir Garreta cuidará da comunicação. O secretário de organização do PT, Glauco Piai, vai cuidar também da campanha. Edson Ferreira será o responsável pela infra-estrutura e Luciano Barbosa, pelas finanças.

Em encontro com a militância, dia 6 de junho, na Casa de Portugal, a ex-prefeita Marta Suplicy recebeu o apoio de numerosos simpatizantes. Na ocasião, Marta destacou o trânsito caótico da cidade como um dos principais problemas a serem enfrentados. Segundo a ex-prefeita, é preciso ousadia na busca de soluções, o que não tem havido na atual gestão, comandada por Serra/Kassab.


*****FONTE: www.zarattinipt.com.br

Conferência GLBT é a primeira da história a receber apoio governamental

Algo importante que esqueci de publicar... Porém nunca é tarde para divulgar...

A Conferência Nacional de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (GLBT), que começou na quinta-feira (5) à noite em Brasília, é a primeira do Brasil e do mundo realizada com apoio governamental. Cerca de mil pessoas debatem o tema direitos humanos e cidadania. A conferência foi precedida de encontros regionais que discutiram políticas públicas para o setor.

O subsecretário de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Perly Cipriano, disse que políticas públicas são necessárias para combater o preconceito e a discriminação tanto nas instituições quanto na sociedade. "O preconceito existe, é na família, na comunidade, no local de moradia. É preciso trabalhar em todas as áreas e também nas instituições. Os três poderes - Executivo, Legislativo e Judiciário - têm que estar juntos nessa mesma política discutindo com a sociedade de maneira articulada”.

Em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional, Cipriano lembrou que quando um evento, como a conferência, tem o apoio do Estado, ele pode avançar e alcançar outros setores públicos ou da sociedade. “Na medida em que o Estado se propõe a discutir, debater e encaminhar políticas, há um aspecto positivo; naturalmente ainda tem preconceito. É preciso ter leis adequadas, o Judiciário todo ainda está acompanhando e ajudando nesse sentido.

O subsecretário disse ainda que já existe uma mobilização grande no Brasil em torno do tema. Ele citou como exemplo a parada gay de São Paulo, com a participação de 3,5 milhões de pessoas, considerada a maior manifestação cívica no país. "Ali estão gays, lésbicas, travestis e transexuais, mas ali são pais e mães heterossexuais. A humanidade tem algumas questões a serem resolvidas para que a gente consiga uma democracia plena, a homofobia (aversão ou discriminação contra homossexuais.) é extremamente grave e precisa ser combatida".

Sobre o caso do sargento preso depois de assumir a homossexualidade, Cipriano acredita que não existe nenhuma instituição homofóbica. “Não creio que exista uma instituição que seja homofóbica. Acho que é preciso conhecer de perto esses acontecimentos e trabalhar muito, é fundamental que se tenha o diálogo, não se combate intolerância com intolerância. No Brasil, há muito violência contra homossexuais, muitas vezes de pessoas com as quais eles convivem."
O conjunto de sugestões aprovadas na conferência deve ser incluída no Plano Nacional de Cidadania da GLBT. “ Isso se dará se a sociedade estiver mobilizada. É isso que permite ter avanço e consolidar políticas. O Brasil já avançou muito, mas não podemos ter a visão de que está tudo resolvido.Essa conferência vai se refletir em todo o mundo. Muitos países estão aqui como observadores."


*****FONTE: Agência Brasil

UBES e UPES protestam contra o desmonte da educação paulista

Estudantes se somam ao Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo na luta contra decretos do governador do Estado, José Serra, que tiram a autonomia dos professores, diminuem benefícios e salários

A UBES e a União Paulista dos Estudantes Secundaristas (UPES) realizaram nesta terça-feira (17) mobilizações em várias escolas da capital paulista contra o desmonte da educação paulista promovido pelo governo Serra.

Por volta de 6h30, representantes das duas entidades, munidos de megafone, foram para a porta das escolas em apoio aos professores. A maior concentração de jovens aconteceu na escola Rui Bloem, na Praça da Árvore, estiveram presentes cerca de 800 estudantes. "Ficamos em frente à escola e explicamos aos estudantes o impacto dos decretos de Serra na qualidade da educação", disse o presidente da UPES, Arthur Herculano.

Às 12h30 houve outro ato, desta vez com 700 manifestantes. "A UPES em toda a sua história sempre lutou por mais democracia e mais qualidade e nas escolas. Entendemos que isso não é possível sem uma gestão autônoma dentro das instituições de ensino, por isso, os estudantes não vão se calar e não vamos medir esforços em apoiar os professores e pedir o fim da cartilha que fere a democracia e a autonomia dos professores. Precisamos mudar esse quadro de declínio da escola pública", reafirmou o presidente da UPES.

Para o diretor de relações institucionais da UBES, Thiago Mayworn, "a educação em São Paulo é muito aquém do que deveria ser, principalmente por se tratar da principal capital do país. Essa cartilha, em formato de jornal, contribui para o declínio do ensino, pois impede a autonomia dos professores e o desenvolvimento das aulas".
Estes atos se somam aos protestos encabeçados pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (APEOESP) contra decretos sancionados pelo governador do estado. "Um deles é o projeto São Paulo faz escola que tira a autonomia dos professores em sala de aula. Outro limita a seis faltas ao ano por motivo de doença e por fim o decreto e por fim o decreto que corta em 2% o salário dos professores", explica Arthur.

Na capital paulista, diversas escolas estão em greve: Caetano de Campos, Brasílio Machado, Boa Nova, Romeu Montoro, Aroldo de Azevedo entre outras. Estima-se que cerca de cinco mil estudantes estejam paralisados. Outras cinco cidades também estão participando das manifestações são elas: Santo André, Guarulhos, Osasco, Campinas e Ribeirão Preto.
Ainda nesta terça as 15h30 a UPES realizou uma plenária em sua sede para definir quais serão as próximas ações do movimento.

Na sexta-feira (20), estudantes promoverão um grande ato unificado para reforçar a posição contrária aos decretos de José Serra e em defesa da educação de qualidade e de melhores condições de trabalho para os professores.


FONTE: http://www.ubes.org.br/

A Juventude Petista Pede Fóruns Livres Já!

Entendendo que a o aprendizado coletivo varia entre métodos e dinâmicas, que através de todo este aprendizado se formula concepções e se forma politicamente como Paulo Freire explica em diversos artigos relacionados a educação crítica e a sociedade.

Dentre as várias formas de aprendizado coletivo, os Fóruns Livres conseguem romper com as tradicionais barreiras daqueles que escutam e daqueles que falam (formas comuns em seminários e palestras), trazendo uma dinâmica igualitária, podendo assim recorrer a toda e qualquer experiência dos diversos assuntos e temáticas que se dialoga na juventude e na sociedade.

A Juventude Petista, antes de qualquer outra juventude partidária tem como obrigação estabelecer os Fóruns Livres como forma de dialogo entre as diversas juventudes.
A formação do Partido dos Trabalhadores, criada meio a união de diversos setores da sociedade, classes sociais e segmentos políticos, identifica como um partido de massas, deste modo tende a surgir de dentro do PT o continuo diálogo com a sociedade.

Trazer dentro do mesmo Fórum Livre filiados do Partido dos Trabalhadores, profissionais da educação, estudantes, dentre outros seguimentos nos faz formular melhores e mais reais propostas relacionadas a educação local e brasileira além de fazer com que a Juventude Petista seja referência na sociedade.

Dentro dos Fóruns Livres a Juventude Petista tem como obrigação fomentar assuntos como Homofobia, Aborto, Gênero, Igualdade Racial, Mídia, Socialismo, Meio Ambiente, entre outros assuntos que estão na pauta da juventude do PT e de toda população brasileira.

Temos que fazer dos Fóruns Livres uma inovação na politização e no dialogo com a sociedade. Uma forma de trazer o PT cada vez mais para dentro das massas e as massas cada vez mais próximas do PT é uma obrigação da Juventude Petista e daqueles que tem identidade com o Socialismo. Como descreve Rosa Luxemburgo, a identidade socialista passa pela discussão entre todos e todas para formularmos uma sociedade com igualdade e democracia.




*****Artigo de Leonardo Koury Martins, graduando de Serviço Social pelo Centro Universitário UNA, Assessor de Políticas de Juventude da Coordenadoria Municipal da Juventude de Belo Horizonte e Secretário de Juventude do PT-bh Pampulha.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Maio de 68 a Maio de 2008: O Sonho Não Acabou

Maio de 68 a maio de 2008: o sonho não acabou
Revolta de estudantes na Europa. Manifestações anti-guerra nos Estados Unidos. Resistência heróica à Ditadura no Brasil. 1968, sem dúvidas, foi um ano que marcou profundamente a história mundial e demonstrou, em todos os cantos do mundo, a força da mobilização coletiva.Na cultura, na política, no esporte. Os lutadores de 1968 queriam mudar o mundo. E mudaram. Movidos principalmente pelos ideais de liberdade, politizados contra o capitalismo, os que construíram a História de 1968 não podiam imaginar que transformariam tantos valores. A ousadia de enfrentar os problemas próximos com vistas a modificar a situação global tem como característica mais incrível o fato de ter tido o mesmo sentimento do México à Alemanha, da música à educação, sem que houvesse um único pólo dirigente, centralizador.Ou seja, foi espontânea a determinação que pode ser resumida em uma das famosas frases de 1968: "Corram camaradas, o velho mundo está atrás de vocês."

A idéia de construir o novo tempo persegue os sonhos da humanidade desde seu início. O sucesso dessa empreitada depende da forma com que se articulam os ideais revolucionários. 1968 foi uma explosão incomparável com qualquer outro ano da história do mundo. De forma resumida, é de 68 a Primavera de Praga na Tchecoslováquia; a saudação dos "Panteras Negras" nas Olimpíadas do México; os assassinatos de Martin Luther King, de Robert Kennedy e do estudante brasileiro Edson Luis; a peça "Roda Viva" de Chico Buarque; o surgimento do termo "Tropicalismo" e o lançamento do principal disco desse movimento musical; o filme "2001: uma odisséia no espaço" e o disco "Yellow Submarine" dos Beatles; a passeata dos 100 mil contra a ditadura no Brasil e das passeatas de milhares nos EUA contra a guerra do Vietnã; o movimento hippie, seu modo alternativo de vida e as polêmicas em torno das drogas e da liberdade sexual; a prisão de 900 militantes estudantis no Congresso da UNE em Ibiúna; o AI-5 e o fechamento do Congresso Nacional brasileiro; e o "É proibido proibir" de Caetano Veloso no Festival da Globo.Com esses exemplos, fica evidente que o mundo foi transformado pelo confronto entre a opressão e os ideais de liberdade que fizeram de 1968 um palco de lutas sociais. A greve geral dos estudantes e trabalhadores da França, em Maio, é o símbolo maior desse movimento e é por isso que apresento esse artigo como uma homenagem e um sopro de esperança aos que acreditaram e acreditam que "a poesia está na rua".

Movidos pela certeza de que "o agressor não é aquele que se revolta, mas aquele que reprime" os manifestantes de 68 deixaram para nós, jovens, 40 anos depois, a lição de que sonhar com o impossível e doar todas as nossas forças nessa busca não é uma loucura, senão a única forma de mudarmos o mundo e vivermos em paz com nossas consciências e com nossos semelhantes.


*****Artigo de Louise Caroline Vice-Presidente do PT de Caruaru
Ocorreu um erro neste gadget

Simplicidade é Tudo...

Simplicidade é Tudo...
A Complexidade é Simples...