sexta-feira, 29 de maio de 2009

Poesia de Fim de Semana: "Amor Perdido"

Um Poeminha que Recebi Por E-mail, Um Poeminha Simples, Modesto Mas Real... Um Poeminha Fofo... Mas não podemos nos esquecer... Ele Foi Feito Por Alguém Que Perdeu Outro Alguém...

Amor Perdido
.
Amor,levado por não sei quem...
Ou algo,o levou...
Sem permissão...
Agora estou...
Á espera de alguém...
Nem com mil palavras...
Ele vai voltar...
Prendeu as minhas asas...
Não vou voar,para o encontrar...
Não sei onde está...
Talvez por lá ficará...
Foi levado por outrém...
Para mim,é um desdem..
Já não o quero também!
Mal me fez creio...
Se faz a alguém bem?
-não sei,mas para mim não veio...

.
*****Escrito Por Inês Santos

Líderes do Governo Se Manifestam Contra a Tese do 3º Mandato


As Lideranças do Governo Reafirmam NÃO ao Terceiro Mandato de Lula!
Os líderes do governo e do PT na Câmara, deputados Henrique Fontana (PT-RS) e Cândido Vaccarezza (PT-SP), respectivamente, declararam nesta quinta-feira (28) suas posições contrárias a proposta que estabeleceria possibilidade de terceiro mandato para prefeitos, governadores e presidentes da República.
A iniciativa é do deputado Jackson Barreto (PMDB-SE) que está recolhendo as assinaturas necessárias (171) para apresentação da proposta de emenda à Constituição nesse sentido. O líder da bancada do PT, deputado Cândido Vaccarezza disse que o Partido vai encaminhar posição contrária à proposta. “O PT vai votar cem por cento contra. A orientação da liderança é clara, nas comissões de mérito e no plenário vamos encaminhar contra essa proposta de terceiro mandato e defendemos o Congresso Revisor em 2011 para discutir a reforma política”, ressaltou.
O líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana, também se manifestou contra a tese do terceiro mandato. “O presidente Lula deixou muito claro que ele não é candidato a um terceiro mandato. Queremos, sim, trabalhar muito para que o nosso projeto em desenvolvimento das políticas sociais continue por meio da eleição da ministra Dilma (Rousseff), que é a nossa candidata”, disse. Fontana observou que o atual governo “não irá repetir o erro de PSDB e PFL, que aprovaram a reeleição de Fernando Henrique Cardoso com o jogo em andamento, em ações que geraram suspeitas até de compra de votos, um movimento que foi prejudicial ao país e às instituições”.

“O governo Lula é reconhecido por um conjunto de mudanças positivas que têm sido introduzidas na gestão do país.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem uma popularidade alta e isto é bom para o país. Queremos que nosso projeto continue através da eleição da ministra Dilma”, destacou Fontana.
*****FONTE: Agência Informes.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Hoje Tem Reunião do CONSEG - Itaquaquecetuba!!!

Galera, Hoje Tem Reunião do CONSEG (Conselho Comunitario de Segurança) de Itaquaquecetuba, esta reunião é aberta para toda a população e acontece toda ultima quinta feira de cada mês as 19h00 na Associação Comercial de Itaquaquecetuba.
Hoje acontece a Eleição e Posse da Nova Diretoria, foi inscrita uma Chapa Única , onde estou como 1º Secretário...
Fica o Convite:
Reunião Ordinária do CONSEG - Itaquaquecetuba
Data: 28 de maio de 2009 (Hoje)
Horário: 19h00
Local: Associação Comercial de Itaquaquecetuba, Rua da LIberade, 100 no Centro de Itaquá!

As Duplas No Rock e No Pop Estão em Alta

As Duplas No Rock e No Pop Estão em Alta
Não é somente na música sertaneja (argh!!!) que as duplas funcionam. No rock e no pop o conceito dupla ou casal sempre deu certo. Se começarmos pelas décadas de 50 e 60 encontraremos casais como Sonny & Cher, Ike & Tina Turner e mais duplas famosas como Everly Brothers, Jan & Dean e Simon & Garfunkel.
.
Muitas dessas duplas tem histórias de sucesso e finais desastrosos, como foi o casal Ike e Tina Turner, que terminou num divórcio conturbado, com Tina Turner sofrendo até espancamentos de seu marido Ike. Na década de 70, o conceito duos deu uma esfriada dando lugar às grandes bandas de rock progressivo como Yes, Genesis, Pink Floyd, King Crimson e Jethro Tull. Ou até mesmo cedeu lugar para o hard rock e heavy metal do Led Zeppelin, Deep Purple, Kiss, Alice Cooper e Black Sabbath. Mas vieram os anos oitenta e novamente o conceito das duplas prevaleceu com casais festejados como o Eurythmics, de Annie Lennox e Dave Stewart. Teve ainda o lado new bossa do Everything But The Girl, com o casal Tracey Thorn e Ben Watt.

.
Como uma quebra aos preconceitos criados em décadas anteriores, surgiram também talentosas duplas gays que abriram espaço e conquistaram o respeito do público com cabeças criativas como o Soft Cell, de Marc Almond e Dave Ball, ou mesmo o Yazoo, de Vince Carke e Alison Moyet - que depois virou o Erasure, de Vince Clark e Andy Bell -, o The Communards, de Jimmy Somerville e Richard Coles, e os famosos Pet Shop Boys, de Chris Lowe e Neil Tennant. Até hoje não há pista no mundo que resista aos primeiros acordes de músicas como "Sweet Dreams", "Tainted Love", "A Little Respect" ou "West End Girls".
.
Falta ainda uma menção honrosa ao Tears For Fears, da dupla Roland Orzaball e Curt Smith, que produziram um dois maiores clássicos da década de 80, o álbum "Songs From The Big Chair", de 1985.
.
Esse conceito mais synth pop e eletrônico foi a tônica dos anos 80. Vieram os anos 90 e pouco disso sobreviveu, dando lugar novamente às bandas e trios. Na virada da década fomos pegos de supresa com uma dupla de Detroit chamada The White Stripes, formada por Jack White na guitarra e vocal e Meg White na bateria. A princípio, todos diziam que eram um casal, mas depois tudo foi desmentido e ficou como se fossem irmãos. Independente do parentesco, o White Stripes revolucionou o conceito das duplas a partir do primeiro disco, em 1999. Muitos perguntavam: "Como um duo de guitarra e bateria consegue produzir tanto barulho ao vivo?". É simples: Jack White é um dos guitarristas mais criativos da nova geração e faz coisas incríveis em seu instrumento, Meg White está longe de ser a melhor baterista da nova era, mas como dizem os músicos "ela segura a onda".

.
Esse foi o segredo de seis espetaculares discos lançados até agora pelo White Stripes. Jack White é um músico inquieto e sempre criativo, fez projetos paralelos bem sucedidos como o Raconteurs e atualmente se apresenta com sua nova banda The Dead Weather, que conta com Alisson Mosshart (da dupla The Kills) nos vocais. O multi instrumentista Jack White dessa vez rege esse projeto lá atrás na bateria. Isso não significa que o White Stripes acabou, a dupla promete disco novo no ano que vem. Da mesma forma o The Kills, da guitarrista e vocalista Alisson Mosshart e do batera/guitarrista e vocalista Jamie Hince, que continuam na ativa.


.
No ano passado, a sensação das duplas veio de Manchester, na Inglaterra, com o duo The Ting Tings, da guitarrista e vocalista Katie White e do baterista Jules de Martino. O disco de estreia da dupla "We Started Nothing" foi um dos mais vendidos e mais tocados na Inglaterra em 2008. Do lado norte-americano a dupla MGMT, formada por Ben Goldwasser e Andrew Van Wyngarden, romperam a barreira do alternativo e invadiram as rádios americanas com o álbum "Oracular Spetacular", um dos discos mais elogiados do ano passado.
Outra dupla norte-americana bastante elogiada no ano passado foram os californianos do No Age, que se apresentam em São Paulo no dia 6 de junho, no Clash Club, no bairro da Barra da Funda. Formada por Dean Spunt e Randy Randall, o No Age lançou em 2008, pela gravadora Sub Pop, o aclamado álbum "Nouns". O No Age é um duo lo-fi experimental de guitarra e bateria e prometem fazer um dos grandes shows dessa temporada.
.
Minhas descobertas mais recentes em termos de duplas foram o Japandroids e o The Big Pink. O duo canadense Japandroids faz uma som garage rock de guitarra e bateria inspirado até em White Stripes, mas com muitas referências de Stooges e Sonic Youth. O álbum de estreia dos garotos de Vancouver chama-se "Post Nothing". Nessa mesma onda, vale citar a duplinha de New Jersey que atende pelo delicado de Gay Blades. Já o The Big Pink é um duo londrino formado por Robbie Furze e Milo Cordell, que se dividem nos teclados e nas programações eletrônicas, criando os sons mais intrigantes dessa nova geração britânica.

.
E por fim, o Tetine, uma dupla brasileira que faz sucesso lá fora entre os independentes, mesclando ritmos brasileiros com música eletrônica. O duo paulista formado por Bruno Verner e Eliete Mejorado, começou em 1995 e já lançaram vários discos, além fixarem residência na Inglaterra. Vivem excursionando por toda Europa, EUA e Japão, e recebem altos elogios da crítica britânica. Em junho e julho a dupla excursiona aqui pelo Brasil. Em tempos de crise, trabalhar em dupla parece o melhor negócio, as despesas e os lucros são dividos pela metade e tudo fica mais fácil, só depende da criativida de cada um.

.


*****FONTE: Yahoo.com, por Kid Vinil que é músico, jornalista e radialista. Fez parte do grupo Magazine, apresentou e produziu programas de rádio na 89FM e Brasil 2000. Apresentou o programa "Lado B", na MTV. Foi Diretor Artístico Internacional das gravadoras Eldorado e Trama.

Serra Quer Ver Criancinha Falando Para o Pai: "Vai Tomar no CU!"


Governo de SP Distribui a Escolas Livro Com Palavrões

Com termos impróprios e conotação sexual, obra seria utilizada por estudantes da rede estadual na faixa de nove anos A Secretaria Estadual da Educação de São Paulo distribuiu a escolas um livro com conteúdo sexual e palavrões, para ser usado como material de apoio por alunos da terceira série do ensino fundamental (faixa etária de nove anos).
.
A gestão José Serra (PSDB) afirmou ontem que houve "falha" na escolha, pois o material é "inadequado para alunos desta idade", e que determinou o recolhimento do material comprado.
O livro ("Dez na Área, Um na Banheira e Ninguém no Gol") é recheado com expressões como "chupa rola", "cu" e "chupava ela todinha". São 11 histórias em quadrinhos, feitas por diferentes artistas, que abordam temas relacionados a futebol - algumas usam também conotação sexual. A editora Via Lettera afirma que a obra é voltada a adultos e adolescentes.
.
A pasta distribuiu 1.216 exemplares, que seriam usados como material de apoio para a alfabetização dos estudantes, dentro do programa Ler e Escrever (uma das bandeiras do governo na educação).Nesse programa, os estudantes podem usar o material na biblioteca, na aula ou levar para casa. O livro começou a ser entregue na semana passada.
.
Paraguais
É o segundo caso neste ano de problemas no material enviado às escolas. A Folha revelou em março que alunos da sexta série receberam livro em que o Paraguai aparecia duas vezes no mapa."Os erros revelam um descuido do governo na preparação e escolha dos materiais", afirmou a coordenadora do curso de pedagogia da Unicamp, Angela Soligo."Há um constante ataque do governo contra os professores e a formação deles.
.
Mas o governo coloca à disposição dos docentes ferramentas frágeis de trabalho", disse Soligo.A reportagem da Folha solicitou entrevista com o secretário da Educação, Paulo Renato Souza. A pasta, porém, só divulgou uma nota, que não esclarece como é feita a escolha dos livros.Sobre a responsabilidade pelo erro, disse apenas que abriu uma sindicância.O gerente de marketing da editora Via Lettera (responsável pelo livro), Roberto Gobatto, afirmou que apenas atendeu ao pedido de compra (no valor de cerca de R$ 35 mil) feito em novembro, na gestão de Maria Helena Guimarães de Castro na pasta da Educação."Não sabíamos para qual faixa etária seria destinada. Se soubéssemos, avisaríamos a secretaria", disse Gobatto.
.
*****FONTE: Folha de S. Paulo do dia 19 de amio de 2009.

Música da Semana: "Sutilmente"

A Música da Semana é do Skank... Sutilmente

Sutilmente

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti


*****Videos no You Tube: http://www.youtube.com/user/skankvideos?blend=1&ob=4

*****Composição: Samuel Rosa e Nando Reis

Juíza Condena Folha Por "Leviandade" e "Sensacionalismo" Contra Zuanazzi

Juíza Condena Folha Por "Leviandade" e "Sensacionalismo" Contra Zuanazzi

A Folha de S.Paulo e a jornalista Renata Lo Prete foram condenadas a pagar R$ 139.500,00 a Milton Zuanazzi, ex-presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a título de indenização por danos morais. A ação se refere a uma série de notas difamatórias publicadas em 20 de julho de 2007 na coluna Painel, editada por Lo Prete.

O jornal afirmou que a Anac mantinha relações “promíscuas” com as empresas de aviação, sugerindo que, no interior da Agência, Zuanazzi seria a pessoa encarregada de defender os interesses da Gol. Segundo a Folha, essa suposta interferência teria feito a Anac liberar a pista do aeroporto de Congonhas onde, três dias antes da publicação da nota, havia ocorrido o acidente com o avião da TAM.

Na ação, Zuanazzi lembra que não foi a Anac quem liberou a pista, mas a Infraero. E ressaltou que a Folha, buscando eleger um culpado pela crise aérea, produziu contra ele acusações que jamais conseguiu provar.

Após a analisar as razões de Zuanazzi e a defesa do jornal, a juíza Maria Lúcia Boutros Buchain Zoch Rodrigues, da Vara Civil do Fórum de Porto Alegre (RS), concluiu que a Folha foi “irresponsável”, “leviana” e “sensacionalista”, dando ganho de causa ao ex-presidente da Anac.

Leia abaixo a íntegra da sentença:

MÍLTON ZUANAZZI ajuizou ação contra a EMPRESA FOLHA DA MANHÃ e a jornalista RENATA LO PRETE, pedindo indenização por dano moral. Disse ser engenheiro, pós-graduado em Sociologia, ter exercido diversos cargos públicos, no âmbito da Administração Federal e Estadual e no Legislativo Municipal, e estar, na época, exercendo a função de Diretor Presidente da Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, possuindo, portanto, uma imagem perante a sociedade. E que em 20 de julho de 2007 foi publicado no Jornal Folha de São Paulo, pertencente à primeira ré, na coluna denominada “Painel”, assinada pela segunda, texto mencionando que a Agência por ele presidida rendia-se aos interesses empresariais do setor que deveria regular, e que no mapa da ANAC, Zuanazzi era GOL. Argumentou que a publicação não visou a esclarecer um fato ou prestar alguma informação, mas unicamente a atacar a sua honra, acusando-o de representar os interesses de uma companhia aérea, dentro da referida agência reguladora. Sustentou tratar-se de uma falsa imputação do crime de corrupção passiva, tipificado no art. 317 do Código Penal, por sugerir que ele teria recebido vantagem indevida em razão do cargo. E observou que, ainda segundo a mesma jornalista, Deputados integrantes da CPI do Apagão Aéreo teriam chegado ao consenso de que a relação entre as empresas aéreas e a ANAC era promíscua, tendo havido pressão por parte das companhias para que houvesse a liberação, antes das férias de julho, da pista onde ocorreu o acidente com o airbus da TAM, no Aeroporto de Congonhas. Enfatizou ser caluniosa a afirmação de que a ANAC seria responsável por essa liberação e pelo grande movimento daquele Aeroporto, e que agiria atendendo a interesses empresariais. Discorreu sobre as medidas por ela tomadas, observando que a pista fora recebida pela INFRAERO - que medira o índice de atrito e a liberara, apenas comunicando a ANAC do fato. Ressaltou que, buscando eleger um culpado pela crise aérea, o texto foi sensacionalista e ultrapassou os limites da liberdade de imprensa e da razão, causando-lhe dano que prescinde de prova. E com essa narrativa, pediu que as rés fossem condenadas a pagar-lhe indenização por danos morais, em valor a ser arbitrado pelo juízo, sugerindo importância equivalente a 300 salários mínimos e instruindo a inicial com documentos (fls. 17-25).

Citadas, as rés contestaram, sustentando, preliminarmente, ser necessária a aplicação, ao caso, da Lei de Imprensa. Alegaram que o autor não teria legitimidade para a propositura desta ação porque as informações por elas divulgadas envolveram apenas a ANAC, não a ele, que somente exercia o cargo de Presidente daquela agência. Disseram que após o caos que se instaurou no país em virtude do acidente com o vôo 1907 da GOL, ocorrido em 29 de setembro de 2006, e, depois, com o vôo 3054 da TAM, todos os meios de comunicação passaram a fazer ampla cobertura jornalística dos fatos relacionados à aviação brasileira, de inequívoco interesse público. Argumentaram que agentes e pessoas públicas como o autor sujeitam-se à rigorosa vigilância no desempenho de suas funções, sem que isso configure violação de qualquer direito subjetivo. Aduziram que o autor optou por uma carreira que o sujeita à ampla exposição, e, por conta disso, seus atos estão submetidos à fiscalização da sociedade, ao crivo da opinião pública e à critica jornalística. Asseguraram que os fatos aludidos na matéria são verídicos e incapazes de gerar a sua responsabilização, por conterem informações prestadas por parlamentares do governo e da oposição, integrantes da CPI do Apagão Aéreo – dentre eles o Sr. Marco Maia, Relator daquela Comissão, que foi quem teria classificado as relações entre a ANAC e as companhias aéreas como promíscuas -, Ministros de Estado e Assessores, cujos nomes não seriam revelados por resguardo do sigilo da fonte. Aduziram que a coluna em questão foi meramente narrativa, com a exposição de fatos verídicos, inexistindo culpa ou dolo de parte delas pelos danos morais que o autor alegou ter suportado, vez que se limitaram a divulgar, de forma objetiva, informações verdadeiras, pautadas única e exclusivamente no interesse público. Negaram ter causado a ele algum dano moral, admitindo, no entanto, que podem, quando muito, ter-lhe causado algum aborrecimento. Discorreram acerca da quantificação de eventual condenação, e defenderam a improcedência da ação, requerendo a produção de provas e juntando documentos (fls. 58-62).

O autor replicou, rebatendo a alegação de ilegitimidade ativa com o argumento de que não está buscando reparação em nome da ANAC, mas em nome próprio. Ressaltou que a Agência jamais foi responsável pela liberação da pista de Congonhas, e que o fato de ele ser uma pessoa pública não autoriza a imprensa a caluniá-lo, acusando-o de estar na folha de pagamento da empresa GOL (fls. 65-69).

Rejeitada a tese de ilegitimidade, as partes foram instadas a se manifestar acerca de provas que pretendessem produzir, tendo ambas requerido a designação de audiência e as rés, ainda, a expedição de ofícios à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal, para que enviassem cópias do relatório final da CPI do Apagão Aéreo (fls. 71 e 74-76).

Indeferida a expedição dos ofícios, foi designada audiência em que foram ouvidas três testemunhas e um informante, sendo, ao final, deferida a juntada, pelas rés, de cópia do relatório antes referido, da qual foi dada vista ao autor, que disse ser irrelevante ao julgamento da lide (fls. 78, 95-562 e 598-599).

Então a instrução foi encerrada, substituindo-se o debate oral pela entrega de memoriais, que ambas as partes apresentaram (fls. 602-618).

Relatados, decido.
A ação é procedente. Afinal, embora em algumas passagens a matéria publicada pelo Jornal Folha de São Paulo, na Coluna Painel do dia 20 de julho de 2007, sob o título “A voz dos donos”, seja um tanto evasiva, a afirmação de que a CPI do Apagão Aéreo concluíra pela existência de uma “relação promíscua” entre a ANAC e algumas companhias aéreas brasileiras - que por conta disso estariam recebendo vantagens, inclusive na liberação da pista do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, local onde ocorreu o maior acidente aéreo brasileiro em número de vítimas – foi inequívoca.

Vale a pena transcrever parte da publicação:

“Deputados do governo e da oposição, que se desentendem sobre quase tudo na CPI do Apagão Aéreo, chegaram a pelo menos um consenso a respeito do relatório final: ele classificará como promíscua a relação entre as empresas aéreas e a ANAC, fato evidenciado pela pressão para que a pista reformada de congonhas, onde ocorreu o acidente com o Airbus da TAM, fosse liberada pela agência antes das férias de julho.

(...)

“Fazer o quê? No próprio governo, avalia-se que a ANAC é a agência mais rendida aos interesses empresariais do setor que supostamente deveria regular. Quem apresenta o diagnóstico logo acrescenta que não há remédio, pois seus diretores têm mandato. Não podem ser dispensados “Oportunidades. Para que servem hoje as agências reguladoras? 'Para duplicar o guichê', ensina uma raposa. “Nem conheço. Agora, ninguém no governo quer ser associado à figura de Mílton Zuanazzi, o ruinoso presidente da ANAC. (...)

“Times. No mapa da ANAC, a diretora Denise Abreu é TAM, enquanto Zuanazzi e o diretor Leur Lomanto são GOL”.
É de ressaltar-se o fato de que o texto foi publicado apenas três dias após a ocorrência daquele acidente, como parte do conjunto de manifestações que a imprensa nacional produziu na ocasião. E que de alguma forma ele vincula o desastre à atuação da ANAC e a uma suposta ligação escusa, de seus dirigentes com duas empresas aéreas: a GOL e a TAM.

Ora, naquele contexto, a afirmação de que Zuanazzi era GOL é suficiente para que se identifique a clara intenção da jornalista de dizer que ele, corrompido pela companhia aérea a fim de receber vantagens indevidas, funcionalizava seus atos para beneficiar aquela empresa. Posto que subliminarmente, resta claro que o texto induz à crença de que entre as causas do grave acidente estaria a corrupção dos agentes da ANAC - entre eles o autor.

E a irresponsabilidade de uma notícia assim veiculada torna-se ainda mais grave quando dirigida a um leitor tomado pela comoção que aquela tragédia sem precedentes na história da aviação brasileira causou.

Foi como colocar gasolina na fogueira em que se constituía o sentimento dos brasileiros naquela ocasião, especialmente os parentes e amigos das vítimas, já tão destroçados pelo acontecimento.

Foi expor o autor, não só a um abalo de imagem como ao risco de linchamento, evidenciado no relato da testemunha João Elias Bragatto, que transcrevo (fl. 584):

“PA: Se o depoente sabe do constrangimento sofrido pelo autor no aeroporto e se ele sabe a que ele aliaria esse constrangimento? T: Isso foi um fato lamentável que foi presenciado, né? Dele e a esposa serem agredidos no aeroporto em função dessa matéria. Estava ali um grupo de pessoas fazendo um manifesto contra a TAM e esse grupo partiu para... Tal assassino, tal ladrão. Foram essas as palavras que deu para ouvir, porque era muita gente e partiram para cima dele.
“J: Presenciou? T: Presenciei o fato. Eu estava... O meu colega estava lá dentro do aeroporto e eu tinha ido estacionar o carro. Nesse percurso já estava a tal... Aí ele me relatou, 'Ó, é o Milton que está ali e o pessoal...', mas deu para ouvir todas as pessoas, inclusive a mulher dele eu achei que tinha sido agredida. Mas depois disse que não foi, o pessoal... De uma bandeirada que ela levou.

“J: Esse fato foi após a publicação desta matéria? T: Após a publicação. Acho que foi uns cinco ou seis meses depois da publicação, se não me engano. Não vou precisar data porque... É que foram depois outras notícias e essa foi a que me gravou mais”.

E nem se diga, como as rés fizeram, que o autor, por ser homem público, sujeito à vigilância no desempenho de suas funções e à crítica jornalística, pudesse, só por isso, ser submetido a acusações daquela natureza. A imputação de atos de corrupção, feita sem qualquer base concreta, por conta de supostos comentários alegadamente protegidos pelo sigilo da fonte, ultrapassou o âmbito da mera crítica jornalística. Mormente quando feita por um veículo de informação com a importância institucional da Folha de São Paulo - cuja influência em todo o País é consabida.

A leviandade que se revela em uma notícia assim produzida não pode abrigar-se sob o manto da liberdade de imprensa - um valor que, se por um lado deve ser resguardado com efeito, de outro impõe àquele que o exercita que o faça com maturidade e equilíbrio, nem de longe observados pelas rés no trato de uma tragédia daquela proporção.

Forçoso dizer o óbvio: para que pudessem estabelecer conexões como as que fizeram - entre as companhias aéreas, a atuação do demandante e o acidente -, as rés, necessariamente, haveriam de ter provas do afirmado. E não tinham.

Nem lhes adianta invocar, da maneira quase irônica como o fizeram, o surrado argumento do “sigilo da fonte”, contradizendo a proposição de que fariam prova da alegada corrupção.

Aliás, nisso cometeram mais uma leviandade, que agrava sobremaneira o ilícito por elas praticado: reiteraram aqui, em juízo, que as informações que publicaram eram verdadeiras; que “o conteúdo do relatório final da CPI do Apagão Aéreo bem demonstra a promiscuidade das relações entre a ANAC e as empresas privadas do setor aéreo e confirma as informações divulgadas pelas rés, inclusive quanto ao autor” (fls. 50 e 97). Em outras palavras, que o autor, como disseram, era GOL. Contudo, os elementos que trouxeram nada sinalizam a respeito de qualquer irregularidade que este tenha cometido.

É surpreendente que as rés inclusive tenham tentado, com destaques em amarelo e algumas transcrições, indicar passagens do relatório da CPI como provas em seu favor. Só quem não lesse aquele documento poderia acreditar que ali existe algo que possa ser chamado de prova da corrupção atribuída ao autor. Não há nada, absolutamente nada, senão referências à INFRAERO e à submissão de obras e serviços desse órgão a interesses de empreiteiros. A promiscuidade citada pela jornalista foi cogitada, sim, mas como presente na relação entre os administradores da INFRAERO e seus contratados (fl. 361), não entre as empresas aéreas e a ANAC, como ela afoitamente anunciara. A menção a dúvidas sobre a probidade da atuação dos dirigentes da ANAC foi feita apenas na introdução do relatório, como parte do histórico da instauração daquela CPI, não havendo, na seqüência, qualquer conclusão ou asserção naquele sentido. Houve, ainda, referência a voto do autor em um julgamento administrativo (fls. 147 e 157) e várias críticas sobre a atuação da ANAC - mais especificamente ao comportamento de uma diretora daquela agência (fls. 162, 169-170, 172-181, 183 e 187-188). Mas nenhuma atribuição de ato de improbidade a Mílton Zuanazzi; nada que o vinculasse à GOL, como asseverado pela Folha e pela jornalista.

Resta, assim, uma imputação vazia, com sua imensurável capacidade destrutiva, que se tornou tanto maior pela indiscutível respeitabilidade do agente - a Folha de São Paulo - e pelo momento em que foi lançada: três dias após o acidente da TAM.

Obviamente, porque refoge aos limites desta lide - que não versa sobre mera crítica à gestão do autor como Presidente da ANAC -, não me cabe aqui avaliar se houve, ou não, falhas na atuação dele à frente daquele órgão, ou, em tendo havido, ser por conseqüência ele contribuiu, ou não, para a crise que a aviação brasileira enfrentou naqueles tempos.

A questão aqui tratada é do ilícito a ele atribuído e seu link, como causa do acidente ocorrido com o airbus da TAM - afirmação feita sem qualquer substrato, como a prova dos autos, de forma cabal, hoje demonstra.

Não tenho dúvida, pois, de que em vez de apenas narrar fatos verídicos e de interesse público, como alegado pelas rés (fl. 49), a coluna por elas publicada utilizou-se de um sensacionalismo barato, da pior espécie, que causou ao autor um profundo dano moral.

Passo, pois, desde logo, a quantificar a indenização a ele devida, que, dada à alusão feita pelas rés em preliminar, vale sublinhar, não se sujeita à tarifação prevista na Lei de Imprensa (Súmula nº 281 do STJ).

E nessa tarefa, observo que a Folha de São Paulo é periódico de circulação nacional, cuja enorme credibilidade que detém é fator que exacerba o dano por ela provocado - na medida em que empresta ao potencial de convencimento dos leitores a mesma proporção dessa credibilidade.

Por outro lado, o autor, como as próprias rés fazem questão de frisar, é homem público. Teve ampla e tradicional atuação política e administrativa no Estado do Rio Grande do Sul, mercê dos cargos que ocupou como Vereador do Município de Porto Alegre, Secretário Estadual e Presidente de instituições como CEEE e CRT – fatos incontroversos. E na época da publicação exercia importante cargo em nível federal - o que amplia o público alvo da notícia, e, por consequência, o potencial agressivo do ilícito por meio dela cometido.

Examinando, ainda, pela perspectiva de precedentes jurisprudenciais do Tribunal de Justiça deste Estado, cito o caso abordado na Apelação Cível nº 70009617283, em que uma magistrada, que teve inseridas nos autos de processo eleitoral declarações acerca de seu envolvimento amoroso com o filho do Presidente de Diretório Municipal de um partido político, obteve, a título de reparação por dano moral, 250 salários mínimos.

Face a esse referencial, parece óbvio que a imputação e o tamanho da divulgação verificadas no presente caso justificariam, pelo menos, quinhentos salários mínimos a título de reparação.

Isso sem contar a capacidade econômica de pelo menos uma das ora rés - empresa jornalística de grande porte -, em comparação com a que se presume ser a dos demandados naquele precedente – dois profissionais autônomos da advocacia.

Na mesma linha a analogia que se faça com o fato julgado na Apelação Cível nº 70001201532, que versou sobre crítica feita pela imprensa à decisão de um magistrado. O valor arbitrado também foi equivalente a 250 salários mínimos.

Ocorre que, na inicial, o autor sugere valor equivalente a trezentos salários mínimos (fls. 15, in fine, e 16). E assim, ao sequer indicá-lo como quantia mínima, o que fez foi limitar seu pedido a esse patamar.

Diante disso, embora a meu juízo a conduta das rés devesse comportar arbitramento maior, não tenho como procedê-lo.

Por consequência, considerados os aspectos que devem nortear a fixação - a intensidade do sofrimento causado ao autor, as condições econômicas e sociais de ambas as partes e o caráter pedagógico e preventivo da condenação -, arbitro a indenização devida pelas rés em R$ 139.500,00, valor equivalente, nesta data, a trezentos salários mínimos.

ANTE O EXPOSTO, JULGO A AÇÃO PROCEDENTE, para condenar a EMPRESA FOLHA DA MANHÃ e a jornalista RENATA LO PRETE, solidariamente, a pagarem a MÍLTON ZUANAZZI, indenização por dano moral que fixo em R$ 139.500,00 (cento e trinta e nove mil e quinhentos reais), a serem corrigidos pelo IGP-M, quando do pagamento, desde a data desta sentença, e acrescidos de juros de mora de 1% ao mês, estes deste a data do ato ilícito (qual seja a da publicação da matéria, ocorrida em 20 de julho de 2007), nos termos da Súmula 54 do STJ.
Custas pelas rés, que pagarão, ainda, verba honorária que, na forma do § 3º do art. 20 do CPC, fixo em 15% (quinze por cento) sobre o valor da condenação.
Registre-se e intimem-se.

Porto Alegre, 15 de abril de 2009.
MARIA LUCIA BOUTROS BUCHAIN ZOCH RODRIGUES,

JUÍZA DE DIREITO.

*****FONTE: www.pt.org.br

domingo, 24 de maio de 2009

Indo Para BH!

Estou Mais Uma Vez, na Rodoviária, esperando dar a Hora para eu Viajar...
Destino: Belo Horizonte, Terra Mineira...

Mais Uma Viagem de oito horas, longa e solitária...


Espero Chegar bem!!!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Poesia de Fim de Semana: "Há tantos Que Vivem, Sem Vier Um Grande Amor"

A Poesia desse Fim De Semana, eu roubei do Blog da Camila Moreno... Uma MIneira Chata que Vive em Sampa me Atazanado a vida por causa da UBEs, da UPES, UMES, e Outras Siglas Estranhas que para a Gente simboliza muito... Uma Mineira Chata que me prometeu trazer pão de queijo de Minas desde dezembro e tô esperano até agora... Um Dia Ela trás.... Enfim Cámila (esse assento agudo no "a" é de propósito ela quando me liga sempre diz " marcello? Aqui é Cámila!" rsrsrsr!


Ela sempre pensava que tinha quase
tudo.
Mas tinha certeza que precisava
mudar muita coisa.
Mas não saberia o que pedir para
aqueles gênios que oferecem 3
desejos.
Enquanto olhava para o céu tão
cheio de vazios e estrelas
Ela pensava em quantas coisas lindas existiam.
Mas era só olhar para os olhos dele
Tão distantes, tão ausentes, pareciam cometas parados ali.
Só precisava olhar alguns minutos para eles
E então se entristecia ao perceber
Que são tantas as coisas, são tantos cometas,
Ela não tinha quase nada.


*****Escrito Por Camila Moreno (www.luzesvermelhas.blogspot.com)

Tucanadas!!!

Tucanadas Para Rir Durante o Fim De Semana!!!





Câmara Votará Com Urgência a Reforma Política

Câmara Votará Com Urgência a Reforma Política
Presidente Michel Temer anuncia criação de comissão especial para analisar propostas que modifiquem a Lei Eleitoral.

A primeira proposta a ser votada deverá ser o financiamento de campanhas eleitorais exclusivamente com recursos públicos.

Os líderes partidários decidiram votar na próxima semana um requerimento de
urgência para os projetos de lei 4636/09, que prevê a adoção do sistema de listas fechadas nas eleições proporcionais; e 4634/09, que institui o financiamento público exclusivo para as campanhas eleitorais. O acordo foi fechado nesta quinta-feira, durante reunião com o presidente da Câmara, Michel Temer.

Temer considerou o acordo um avanço, pois havia o risco de a discussão sobre a reforma política ser sepultada, já que há grandes divergências sobre as
mudanças propostas pelo governo em fevereiro deste ano. Ouça entrevista do presidente Michel Temer, à Rádio Câmara, na qual explica o trabalho da comissão especial sobre a Lei Eleitoral.

O líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), afirmou após a reunião que a intenção é votar nos próximos dias os pontos consensuais da reforma política, como o financiamento público. Segundo ele, a maioria dos parlamentares admite que o modelo atual (financiamento privado) está falido. Em relação, às listas fechadas, no entanto, ele afirma que será preciso usar a "criatividade" para encontrar uma solução que obtenha o apoio da maioria.

Já o líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO), que foi relator da reforma política na comissão especial, acredita que, após a aprovação da urgência, as propostas devem ser incluídas imediatamente na pauta. Ele lembrou que a lista fechada e o financiamento público contam com o apoio do DEM, do PSDB, do PPS e do PCdoB, além de vários líderes partidários. Ele lembra que esses dois pontos são os dois pilares da reforma política em discussão na Câmara.
Ouça entrevista do deputado Ronaldo Caiado, que só acredita na definição da reforma política com a votação em Plenário.

Desvinculação
O líder do governo, Henrique Fontana (PT-RS), considera que a reunião de hoje fortaleceu a possibilidade de desvinculação da lista fechada e do financiamento público de campanha. Ele se diz defensor dos dois instrumentos, mas admite, por exemplo, o financiamento público exclusivo para as eleições majoritárias (presidente, governador, prefeito e senador) e proporcionais (deputado e vereador).

Nesse último caso, a quantidade de candidatos de um partido seria limitada e proporcional à quantidade de cadeiras em disputa, e a distribuição dos recursos públicos para cada legenda também teria uma parte atrelada aos votos obtidos nas eleições anteriores. "O financiamento público é necessário e deveria entrar em vigor já em 2010, pois o processo de criminalização da política que estamos vendo está embutido no processo de financiamento privado, que é insuportável, temos que acabar com isso", declarou.

Fontana sugere ainda que propostas mais polêmicas sejam negociadas para vigorarem a partir de 2014 e outras, se houver necessidade, sejam abordadas em uma "reunião constituinte" no ano de 2011. "Acho razoável que o que não conseguirmos votar agora, seja negociado para 2014 ou nas reuniões constituintes, Seriam três fases de mudanças", disse.

O líder do PT, Cândido Vaccarezza (SP), afirmou que vai assinar o pedido de urgência e que seu partido defende o voto em lista fechada e o financiamento público de campanha.

Quanto à criação de uma comissão especial para analisar propostas que modifiquem a Lei Eleitoral, anunciada mais cedo pelo presidente Michel Temer, Vaccarezza disse que é importante aprovar uma lei que valha para todo período eleitoral, para evitar que a cada eleição se mudem as regras.

Lista fechada
O líder do PR, Sandro Mabel (GO), afirmou que PR, PP, PSB, PTB e parte do PMDB já se manifestaram contrários à adoção da lista fechada para as eleições proporcionais (deputados federais e estaduais e vereadores). Ele afirmou que esse modelo representaria um risco para a democracia, pois ressuscitaria na prática experiências como a dos senadores biônicos (um por estado, indicados pelo presidente da República, conforme o chamado Pacote de Abril de 1977)

O líder do PR também defende um teto para o financiamento das campanhas eleitorais, em vez do financiamento público.

Lei eleitoral
Os líderes também decidiram criar uma
comissão especial para analisar propostas de mudança na legislação eleitoral. Temer explicou que essa comissão vai discutir mudanças mais simples no processo eleitoral - algumas delas reguladas hoje por resoluções de tribunais.
.

Em discurso forte, deputado Elvino Bhon Gass/PT, convoca para o ato AI-5 Digital no próximo dia 25.

Em discurso forte, deputado Elvino Bhon Gass/PT, convoca para o ato AI-5 Digital no próximo dia 25.

Elvino Bhon Gass é deputado Estadual do PT, profundamente ligado aos movimentos sociais, é autor do Projeto de Lei da Economia Solidária e do Software Livre no Rio Grande do Sul.
“Esta luta passa também pela crise mundial que vivemos agora, que mais uma vez repete-se, pela extrema valorização do mercado competitivo onde tudo é uma mercadoria a ser vendida para dar lucros. Esta crise é a da disputa do conhecimento público e livre versus o conhecimento privado. É a disputa do software livre versus o proprietário, é a luta das sementes livres versus as transgênicas, que prejudicam o meio ambiente e ameaçam a nossa biodiversidade. . É também, a luta da comunicação comunitária/pú blica versus a comercial, a propriedade intelectual que transforma tudo em mercadoria a ser vendida e a fazer lucrarem as pessoas de sempre.”

Transcrição do Discurso:
Senhor presidente, senhoras deputadas e senhores deputados e povo do RS!
Hoje ocupo este espaço para deixar um convite a senhoras deputadas e aos senhores deputados, aos movimentos sociais, as entidades, as organizações e a toda a comunidade do Rio Grande. Convidamos a todos os que realmente defendem e acreditam na liberdade da Internet, que é mais do que uma rede mundial de computadores, é uma rede de pessoas. Estamos convocando a todos para participarem, no dia 25 de maio, às 14 horas, do Ato Contra a ditadura na Internet, o AI-5 Digital que acontecerá no 4º andar na sala Maurício Cardoso da Assembléia Legislativa do RS.

O movimento que estou compondo é contrário ao projeto de lei nº 84/99, do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), já aprovado no Senado Federal e que agora está para ser aprovado também pela Câmara dos Deputados. Entre outras barbaridades, este projeto criminaliza com muita rigidez o livre uso da Internet que é o meio de comunicação mais democrático já criado pela humanidade. O projeto também abre possibilidades para impedir o direito de uso justo e sem fins lucrativos de obras protegidas pela propriedade intelectual, garantido no artigo 184, parágrafo quarto do Código Penal, e exige que quaisquer provedores de acesso a Internet vigiem todos os dados transmitidos pela rede e denunciem suspeitos de praticar crimes, ferindo de morte o direito à privacidade na rede.

Eu e muitos companheiros e companheiras deputados estaduais e federais do Rio Grande do Sul e de São Paulo resolvemos nos unir a entidades representativas da sociedade civil neste ato do dia 25 de maio para clamar pela não aprovação deste projeto, que pode ser votado a qualquer momento no plenário da Câmara Federal, sem um amplo debate com a sociedade brasileira para a construção de uma lei dos direitos civis na Internet.
*****FONTE: PT - RS

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Legalidade e Autonomia do Grêmio Estudantil


Legalidade e Autonomia do Grêmio Estudantil

Cá estamos na Gestão de 60 anos da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), onde na Minha Visão a meta deveria ser Um Grêmio Estudantil Livre em cada Escola. Quando queremos um Grêmio Estudantil Livre, significa simplesmente a formação de uma Entidade Representativa dos Estudantes dentro da Escola, com o objetivo de melhora – la para todos...

Quando queremos isso, parece ser óbvio o objetivo do Grêmio Estudantil, mas infelizmente o objetivo do Grêmio Estudantil não é alcançado em algumas Escolas por causa do não entendimento de sua função.Desde 1985, o Grêmio Estudantil é Lei Federal, ou seja sua autonomia é respaldada legalmente, um Grêmio Estudantil não é um Projeto de Escola, é uma Instituição dentro da Escola como o Conselho de Escola e a APM (Associação de Pais e Mestres), com poder de deliberação de acordo com seu Estatuto Social.Para você poder compreender melhor o fundamento do Grêmio Estudantil, veja seu respaldo legal: A Lei Federal N° 7398 de 04 de novembro de 1985, deixa bem claro que o Grêmio Estudantil é uma Instituição Autônoma e Deliberativa que tem o objetivo de representar os Estudantes da Escola, como uma Instituição tem seu Estatuto Próprio e Diretoria Eleita pelos Estudantes.

Como Entidade Autônoma, nenhuma outra Instituição ou pessoa pode cometer qualquer ingerência em seu funcionamento; Outra lei que fortalece a Autonomia do Grêmio Estudantil é a Lei N° 9.394 de 20 de dezembro de 1996 que deixa claro que a Direção Escolar tem o dever de criar condições para que os estudantes se organizem livremente no Grêmio Estudantil; Existe também o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) que em seu artigo 53, inciso IV, deixa claro o direito dos estudantes se organizarem em Entidades Estudantis; O Artigo 5°, inciso 18, deixa claro que é direito de todo cidadão participar de Associações e Entidades em geral, sem interferência Estatal.

Esta é a Base Legal de Um Grêmio Estudantil, não existe nenhuma Entidade, Pessoa ou Governo que possa interferir em um Grêmio Estudantil, muito menos vetar seu funcionamento, a partir do momento que alguém, comete este veto está transgredindo no mínimo quatro leis.Como Instituição democrática, o Grêmio Estudantil é formado por estudantes eleitos pelo voto direto e secreto, onde vão fazer parte da Diretoria do Grêmio Estudantil que tem seus trabalhos regidos pelo Estatuto Social da Entidade.Assim a atuação do Grêmio Estudantil é legitima e não depende de autorização para funcionar.

Cabe ao Grêmio Estudantil se fortalecer a cada dia e lutar pelos seus direitos, com a organização de atividades, podendo ser, atividades políticas, culturais, esportivas, ecológicas, ou de qualquer tema que seja ligado aos estudantes de modo geral, afinal ele representa os interesses dos Estudantes, cabe a ele atuar da melhor maneira possível, desde um Simples Baile de Comemoração até uma Passeata pelo Passe Livre Estudantil.Cabe a Você Estudante, fazer valer seus Direitos e lutar por um Grêmio Estudantil Livre em sua Escola.
.
*****Artigo de Marcello Barbosa, Diretor de Políticas Públicas de Juventude da UBES, 1º Secretário do CONSEG - Itaquaquecetuba e Secretário Municipal da Juventude do PT de Sua Cidade.

MEC Homologa Obrigatoriedade das Aulas de Filosofia e Sociologia no Ensino Médio

MEC Homologa Obrigatoriedade das Aulas de Filosofia e Sociologia no Ensino Médio

O parecer que torna filosofia e sociologia disciplinas obrigatórias no ensino médio foram homologadas pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. A medida torna obrigatória a inclusão das duas matérias no currículo do ensino médio em todo o país, ampliando o que já era praticado em 17 Estados. As escolas terão um ano para incluir a filosofia e a sociologia na grade curricular.

Sociologia já foi matéria obrigatória entre 1925 e 1942. Mesmo sendo optativa, várias escolas continuaram com a disciplina. O governo nunca exigiu antes o ensino de filosofia nas escolas. De acordo com o relator da proposta, o conselheiro César Callegari, a decisão vai estimular os estudantes a desenvolverem o espírito crítico. "Isso significa uma aposta para que os alunos possam ter discernimento quando tomam decisões e que sejam tolerantes porque compreendem a origem das diversidades", disse.

Segundo Ismael Cardoso, presidente da UBES, as disciplinas ensinam a pensar, mas deve haver a preocupação de como serão ministradas. "A aprovação, sem dúvida, representará grandes mudanças na educação pública. Mas o que deve ser discutido nas salas de aula para que possamos utilizar estas disciplinas como instrumentos poderosos que são para superar o processo alienante que ainda persiste na educação?", questiona.


*****Fonte: Da Redação do EstudanteNet

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Música da Semana: "Meu Sonho"

Esses Dias, estava fussando no rádio a procura de algo bom para escutar, foi mais um dia daqueles frio e sombrio, como os ultimos que passei recentemente, escutei essa música dos "Paralamas do Sucesso", achei linda, decidi então publica-la aqui...

Meu Sonho

Pode ser que meu sonho seja assim
Te dizer quase tudo que você é pra mim
O que quero, o que espero
Sonho em te ver aqui
Sem rodeio solto os freios
Canto o amor por ti

Se me calo, tenha claro
Que é por refletir
Nas minúcias das carícias
Que eu sonho em sentir
Ter teu gosto ver teu rosto
Feliz a me pedir
Mais carinho, mais promessas
Que eu sonho em cumprir

*****Veja No You Tube: http://www.youtube.com/watch?v=mYJM_wstY-E

*****Composição Indisponivel, /Intérprete: Paralamas do Sucesso.

Paulo Bernardo: Oposição Quer Privatizar Petrobras

Paulo Bernardo: Oposição Quer Privatizar Petrobras
.
O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje que a oposição, com a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar possíveis irregularidades na administração contábil da Petrobras, pretende "desmoralizar" a empresa com o intuito de privatizá-la. "O que o PSDB gostaria mesmo é de privatizar a Petrobras e eles não conseguiram fazer isso no governo Fernando Henrique (1995-2003)", disse. "Provavelmente vão querer desmoralizar a Petrobras para fazer isso no futuro, mas tenho certeza de que não vão conseguir."
.
Bernardo afirmou que o governo vai esclarecer todas as suspeitas levantadas contra a petrolífera estatal. "E vamos continuar fazendo investimentos na área do pré-sal normalmente, mantendo a Petrobras com a grande empresa que é", destacou. Segundo ele, o Brasil anda na contramão da tendência mundial. "Enquanto os grandes países desenvolvidos estão fazendo tudo para proteger suas empresas, nós fazemos alguma coisa para derrubar a maior empresa do continente sul-americano", reclamou. "A oposição, no seu afã de dificultar as coisas para o governo pode prejudicar uma empresa que é uma das maiores do mundo."
.
O ministro do Planejamento ressaltou, no entanto, que a instalação da CPI não conseguirá paralisar as atividades do governo. "Nós vamos acompanhar essa gritaria que estão fazendo, mas de forma alguma vamos deixar paralisar. Nem as ações de investimento da Petrobras serão paralisadas, nem o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), nem o programa Minha Casa, Minha Vida. Vamos tocar tudo normalmente", assegurou Bernardo.

*****FONTE: Site Yahoo

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Poesia de Fim De Semana: "Aula de Amor"

Um Clássico de Bertold Brecht, Nesta Sexta Feira Tão Cansativa e Stressante!!! Veja Como o Autor Brinca Com as Palavras...

Aula de Amor
.
Mas, menina, vai com calma
Mais sedução nesse grasne:
Carnalmente eu amo a alma
E com alma eu amo a carne.
.
Faminto, me queria eu cheio
Não morra o cio com pudor
Amo virtude com traseiro
E no traseiro virtude pôr.
.
Muita menina sentiu perigo
Desde que o deus no cisne entrou
Foi com gosto ela ao castigo:
.
O canto do cisne ele não perdoou.
.

*****Autor: Bertold Brecht (Tradução de Aires Graça)

Enem Será Obrigatório a Partir de 2010

Enem Será Obrigatório Esse Ano
.
O novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passará a ser obrigatório para todos os alunos que concluírem a escola pública a partir do ano que vem, quando a prova será ampliada. O estudante terá de prestar o exame para receber o certificado de conclusão escolar. A decisão foi tomada ontem pelo Ministério da Educação a pedido dos secretários estaduais. Caberá aos Estados estabelecer as regras de uso do novo Enem como certificação dos estudantes do ensino médio.

O Estado define, por exemplo, se bastará fazer a prova para receber o certificado ou se será exigido uma média mínima para ser aprovado. Ou ainda se para a aprovação valerá apenas a nota no Enem ou a avaliação escolar no decorrer do ano. A necessidade de tornar a prova obrigatória vem da intenção dos Estados e do governo federal de ter uma avaliação universal das escolas de ensino médio. Hoje, a Prova Brasil, realizada a cada dois anos, é feita apenas para alunos da 4ª e 8ª série do ensino fundamental.

A queixa dos governos estaduais era de que o Enem, por não ser obrigatório, não servia para avaliar justamente o nível de ensino mais problemático e de pior qualidade hoje no País, deixando-os sem parâmetros para saber que tipo de política pública adotar. No entanto, por não poder ser aplicada nas escolas, como a Prova Brasil - em que os alunos fazem como mais uma avaliação do ano - o Enem precisará de uma "motivação" a mais para atrair todos os estudantes, daí a obrigatoriedade.

"Não podemos fazer o Enem nas escolas por uma questão de segurança. Ao contrário da Prova Brasil, que é usado apenas para a avaliação das escolas, o Enem valerá uma vaga na universidade", explicou o ministro da Educação, Fernando Haddad. Atualmente, pouco mais de 70% dos estudantes que concluem o ensino médio já fazem o Enem. Em 2008, foram mais de 4 milhões de inscritos. Para chegar a 100% na rede pública, o MEC terá que tornar os locais de prova mais acessíveis em todo o País. Hoje, a prova é aplicada em 1.600 municípios. As informações são do jornal.

*****FONTE: O Estado de S. Paulo.

Lula: "Oposição Mente Descaradamente Sobre Poupança"

Lula: "Oposição Mente Descaradamente Sobre Poupança"
.
Um dia depois de o governo anunciar o projeto para tributação de parte das cadernetas de poupança, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostrou que não gostou de ver a medida comparada ao confisco feito pelo ex-presidente Fernando Collor. Ele disse ontem que o mesmo grupo da oposição que o critica apoiou Collor no passado. "É importante lembrar que essa parte da oposição que critica estava com Collor em 1989." Lula acusou os adversários de mentirem "descaradamente".
.
"Eu ouvi alguns discursos da oposição e não sei como é que as pessoas descaradamente mentem para a opinião pública, achando que a opinião pública não tem inteligência para perceber o desplante das acusações", disse, após participar, à noite, da abertura da 9.ª Conferência Global sobre Viagens e Turismo, em Florianópolis. Para o presidente, a oposição "não sabe mais o que fazer". E prosseguiu: "Tenho muita pena de um País que tem uma oposição que perdeu o discurso e aí começa a falar coisas que nem eles acreditam".

O centro da polêmica é a proposta que governo divulgou anteontem, prevendo a cobrança de Imposto de Renda dos depósitos em poupança acima de R$ 50 mil a partir de 2010. "Nós não mexemos na poupança. 99% dos poupadores ficarão como estavam. O que nós não podemos, por responsabilidade, é permitir que a poupança vire um fundo de investimento." As informações são do jornal

*****FONTE: O Estado de S. Paulo.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Créuuu do Barbosão!!! Saia As Ruas Gilmar Mendes!!! Créu!


Galera Veja, as 25 Perguntas que o Grande Gilmar Tem Que Responder ao Povo Nas Ruas!!! Ops! E Veja o Vídeo do Créu do Barbosão!!!


25 Perguntas a Gilmar Mendes... O Presidente do Superior Tribunal Federal
1.O sr. sabe algo sobre o "assassinato" de Andréa Paula Pedroso Wonsoski, jornalista que denunciou o seu irmão, Chico Mendes, por compra de votos em Diamantino, no Mato Grosso?

2.Qual a natureza da sua participação na campanha eleitoral de Chico Mendes em 2000, quando o sr. era advogado-geral da União?

3.Qual a natureza da sua participação na campanha eleitoral de Chico Mendes em 2004, quando o sr. já era ministro do Supremo Tribunal Federal?

4.Quantas vezes o sr. acompanhou ministros de Fernando Henrique Cardoso a Diamantino, para inauguração de obras?

5.O sr. tem relações com o Grupo Bertin, condenado em novembro de 2007 por formação de cartel? Qual a natureza dessa relação?

6.Quantos contratos sem licitação recebeu o Instituto Brasiliense de Direito Público, do qual o sr. é acionista, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso?

7.O sr. considera ética a sanção, em primeiro de abril de 2002, de lei que autorizava a prefeitura de Diamantino a reverter o dinheiro pago em tributos pela Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Diamantino, da qual o sr. é um dos donos, em descontos para os alunos?

8.O sr. tem alguma idéia do porquê das mais de 30 ações impetradas contra o seu irmão ao longo dos anos jamais terem chegado sequer à primeira instância?

9.O sr. tem algo a dizer acerca da afirmação de Daniel Dantas, de que só o preocupavam as primeiras instâncias da justiça, já que no STF ele teria"facilidades" ?

10.O segundo habeas corpus que o sr. concedeu a Daniel Dantas foi posterior à apresentação de um vídeo que documentava uma tentativa de suborno a um policial federal. O sr. não considera uma ação continuada de flagrante de suborno uma obstrução de justiça que requer prisão preventiva?

11.Sendo negativa a resposta, para que serve o artigo 312 do Código de Processo Penal segundo a opinião do sr.?

12.Por que o sr. se empenhou no afastamento do Dr. Paulo Lacerda da ABIN?

13..Por que o sr. acusou a ABIN de grampeá-lo e até hoje não apresentou uma única prova? A presunção de inocência só vale em certos casos?

14.Qual a resposta do sr. à objeção de que o seu tratamento do caso Dantas contraria claramente a *súmula 691* http://www.dji.com.br/normas_inferiores/regiment o_interno_ e_sumula_ stf/stf_ 0691a0720.htm do próprio STF?

15..O sr. conhece alguma democracia no mundo em que a Suprema Corte legisle sobre o uso de algemas?

16.O sr. conhece alguma Suprema Corte do planeta que haja concedido à mesma pessoa dois habeas corpus em menos de 48 horas?

17.Por que o sr. disse que o deputado Raul Jungmann foi acusado"escandalosa mente" antes de que qualquer documentação fosse apresentada?

18.O sr. afirmou que iria chamar Lula "às falas". O sr. acredita que essa é uma forma adequada de se dirigir ao Presidente da República? O sr. conhece alguma democracia onde o Presidente da Suprema Corte chame o Presidente da República "às falas"?

19..O sr. tem alguma idéia de por que a Desembargadora Suzana Camargo, depois de fazer uma acusação gravíssima – e sem provas – ao Juiz Fausto de Sanctis, pediu que a "esquecessem" ?

20..É verdade que o sr., quando era Advogado-Geral da União, depois de derrotado no Judiciário na questão da demarcação das terras indígenas, recomendou aos órgãos da administração que não cumprissem as decisões judiciais?

21.Quais são as suas relações com o site Consultor Jurídico? O sr. tem ciência das relações entre a empresa de consultoria Dublê, de propriedade de Márcio Chaer, com a BrT?

22.É correta a informação publicada pela Revista Época no dia22/04/2002, na página 40, de que a chefia da então Advocacia Geral da União, ou seja, o sr., pagou R$ 32.400,00 ao Instituto Brasiliense de Direito Público - do qual o sr. mesmo é um dos proprietários - para que seus subordinados lá fizessem cursos? O sr. considera isso ético?

23.O sr. mantém a afirmação de que o sistema judiciário brasileiro é um "manicômio"?

24.Por que o sr. se opôs à investigação das contas de Paulo Maluf no exterior?

25.Já apareceu alguma prova do grampo que o sr. e o Senador Demóstenes denunciaram? Não há nenhum áudio, nada?


*****FONTE: E-Mail Circular Pela Rede

terça-feira, 12 de maio de 2009

Novelas Ou Piadas?!?

Veja as Novelas Com Nomes Mais Curiosos!

Quem escolhe os nomes de novelas? Porque essas tramas sempre trazem palavras como Amor, Poder, Mistério, Paraíso, etc. Alguns desses títulos, às vezes, têm a ver mesmo com a história da novela, mas em outros casos eles não dizem absolutamente nada sobre a trama. Quem não se lembra da novela 'A Usurpadora', cujo título deixava todo mundo intrigado, sem saber o que significava.

Há uma teoria sobre a verdadeira origem dos nomes de novelas, onde o uso de palavras que exprimam algum sentimento, ligação ou relação é uma regra. Assim, palavras como paixão, amor, doce, sonho, pecado, coração, segredo, desejo, laços, feliz têm lugar garantido.

Outra lista: palavras (substantivos/adjetivos/verbos) significando pessoas ou grupos, lugares, períodos ou estados de espírito, como por exemplo tropical, maravilha, mulheres, anjo, história, louco, vida, nascer, livre e tantas outras. E pronto, é só cruzar as duas colunas e temos um título de folhetim.
Só para se ter uma ideia, no ano passado, a Rede Record fez até um concurso interno para escolher o nome da nova trama da emissora escrita por Lauro César Muniz.

O prêmio ao vencedor era uma TV de plasma. No final, 'Poder Paralelo' foi o título eleito. Esse tipo de concurso já tinha acontecido na hora de bater o martelo por 'Vidas Opostas', em 2007, também na Record.

Mas, quando se trata de nomes bizarros de novelas, a teledramaturgia mexicana sai na frente, com nomes engraçados e até difíceis de traduzir para o português, como foi o caso de algumas novelas do SBT que continuaram com o nome original e chamavam atenção pela originalidade. Seja brasileiro ou não, o título da novela é determinante para levantar a audiência ou já levar a trama ao fracasso. Veja alguns dos nomes de novelas mais bizarros na história da TV brasileira:

Pícara Sonhadora - (SBT, 2001)

Ana Raio e Zé Trovão - (Manchete, 1990)

A Usurpadora - (SBT, 1999)

Café Com Aroma de Mulher - (SBT 2001)

Pedro, O Escamoso - (Rede TV! 2003)

A Feia Mais Bela (SBT - 2006)

As Filhas da Mãe (Globo 2001)

Os RicosTambém Choram (SBT - 2006)

Canavial de Paixões (SBT 2003/2004)

Marina da Noite (SBT - 2003)

Alegrifes e Rabujos (SBT - 2004)


*****FONTE: Yahoo

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Música da Semana: "Aprendiz de Feiticeiro"

A Música Da Semana é de Alguém Que Nos Deixou Antes do Tempo: Cássia Eller...


Aprendiz de Feiticeiro

Aprendiz de feiticeiro
Aprendiz de feiticeiro

Aprendi quando criança que além de tudo balança
Esse nosso mundo cão
Aprendi que quem não dança, já dançou na sua infância
Senão rock foi baião
Aprendi da importância de não dar muita importância
Ficar com os meus pés no chão
Aprendi que viver cansa, mesmo vivendo na França
Mesmo indo de avião
Aprendi que a desavença, é por que sempre alguém pensa
Que ninguém mais tem razão

Aprendiz de feiticeiro
Aprendiz de feiticeiro

Aprendi que tudo passa, tomando chá ou cachaça
Tomando champanhe ou não
Aprendi que a descrença, a desconfiança e a doença
São partes da maldição
Aprendi que a ignorância, a sordidez e a ganância
São lavas desse vulcão
Aprendi que essa fumaça a minha janela embaça
Por fora, por dentro, não
Aprendi tetra depressa que a taça do mundo é nossa
E que São Paulo é meu sertão

Aprendi que tudo passa, tomando chá ou cachaça
Tomando champanhe ou não
Aprendi que a descrença, a desconfiança e a doença
São partes da maldição
Aprendi que a ignorância, a sordidez e a ganância
São lavas desse vulcão
Aprendi que essa fumaça a minha janela embaça
Por fora, por dentro, não
Aprendi tetra depressa que a taça do mundo é nossa
E que São Paulo é meu sertão.

*****Vídeos No YouTube: http://www.youtube.com/results?search_type=&search_query=c%C3%A1ssia+eller&aq=f

*****Composição: Itamar Assumpção / Intérprete: Cássia Eller

Oposição Rechaça Proposta de Dividir Poder na Geórgia


Oposição Rechaça Proposta de Dividir Poder na Geórgia
Os oposicionistas rechaçaram a proposta feita hoje pelo presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, de dividir o poder com os oponentes, e prometeram mais protestos para forçar a queda do mandatário. Segundo Saakashvili, a intenção da proposta seria encerrar uma crise política que resulta em manifestações quase diárias na capital do país, Tbilisi, e convidou a oposição para liderar uma nova comissão com o objetivo de reformar a Constituição e a legislação eleitoral. O parlamentar oposicionista Levan Gachechiladze sugeriu que os protestos devem continuar até a renúncia de Saakashvili, que nega-se a deixar o poder antes do fim de seu mandato, em 2013.

As manifestações da oposição começaram em 9 de abril e atrapalham várias vias da capital, barrando também entradas de prédios do governo. Os opositores do presidente dizem que as políticas dele minaram o Judiciário, cercearam a liberdade de imprensa e não conseguiram fortalecer a democracia da Geórgia. Eles culpam ainda Saakashvili, apoiado pelos Estados Unidos, por iniciar uma desastrosa guerra com a Rússia, em agosto passado, piorando a situação econômica nacional.



*****FONTE: http://www.yahoo.com.br/

sábado, 9 de maio de 2009

Poesia de Fim de Semana: "Versos Íntimos"

A Poesia de Fim De Semana de Hoje é um Clássico Brasileiro, do Escritor Paraibano Augusto dos Anjos...


Versos Íntimos
.
Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!
.
Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.
.
Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.
.
Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!

.

*****Autor Augusto dos Anjos

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Ato Público Contra a Censura Digital

ATO CONTRA O AI-5 DIGITAL

A Internet é uma rede de comunicação aberta e livre. Nela, podemos criar conteúdos, formatos e tecnologias sem a necessidade de autorização de nenhum governo ou corporação.

A Internet democratizou o acesso a informação e tem assegurado práticas colaborativas extremamente importantes para a diversidade cultural. A Internet é a maior expressão da era da informação.A Internet reduziu as barreiras de entrada para se comunicar, para se disseminar mensagens. E isto incomoda grandes grupos econômicos e de intermediários da cultura. Por isso, se juntam para retirar da Internet as possibilidades de livre criação e de compartilhamento de bens culturais e de conhecimento.Um projeto de lei do governo conservador de Sarkozi tentou bloquear as redes P2P na França e tornar suspeitos de prática criminosa todos os seus usuários. O projeto foi derrotado.

No Brasil, um projeto substitutivo sobre crimes na Internet aprovado e defendido pelo Senador Azeredo está para ser votado na Câmara de Deputados.

Seu objetivo é criminalizar práticas cotidianas na Internet, tornar suspeitas as redes P2P, impedir a existência de redes abertas, reforçar o DRM que impedirá o livre uso de aparelhos digitais. Entre outros absurdos, o projeto quer transformar os provedores de acesso em uma espécie de polícia privada. O projeto coloca em risco a privacidade dos internautas e, se aprovado, elevará o já elavado custo de comunicação no Brasil.

Gostaríamos de convidá-lo a participar do ato público que será realizado no dia 14 de maio, às 19h30, em defesa da

LIBERDADE NA INTERNET - CONTRA O VIGILANTISMO NA COMUNICAÇÃO EM REDE CONTRA O PROJETO DE LEI SUBSTITUTIVO DO SENADOR AZEREDOO

Ato será na Assembléia Legislativa de São Paulo e será transmitido em streaming para todo o país pela web.

LOCAL: PLENÁRIO FRANCO MONTORO ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO
AV PEDRO ALVARES CABRAL S/N - IBIRAPUERA

O Ato também terá cobertura em tempo real pelo Twitter e pelo Facebook.

Contamos com a sua presença.

***FONTE: Comitê Organizador
Ocorreu um erro neste gadget

Simplicidade é Tudo...

Simplicidade é Tudo...
A Complexidade é Simples...