quarta-feira, 29 de junho de 2011

Discurso de Ricardo Zarattini na Conferência Contra o Terrorismo em Teerã - Irã

Nota do Blogueiro: Segue abaixo um excelente Discurso do companheiro Ricardo Zarattini, denunciando o Imperialismo Norte-Americano e fazendo a defesa da autodeterminação dos povos

Discurso de Ricardo Zarattini na Conferência Contra o Terrorismo em Teerã
Estimados companheiros do Governo da Republica Islâmica do Irã

Em primeiro lugar queria agradecer o honroso convite para participar desta Reunião Internacional no combate ao Terrorismo e em defesa da Paz mundial. Nela estão presentes centenas de valorosos companheiros da maioria dos países do mundo que lutam, no dia a dia, contra o terrorismo nas suas mais diferentes formas.

Como brasileiro posso afirmar que em meu país – o Brasil - milhões de trabalhadores das cidades e dos campos, religiosos dos mais diferentes credos, intelectuais, a classe média e os setores progressistas do empresariado vêm tomando consciência dos crimes cometidos pela potencia imperial – os Estados Unidos – não só contra o nosso País, mas também contra outras nações do mundo.

Essa consciência tem aumentado muito no Brasil, nesses últimos trinta anos, porque um grande líder – o Presidente Lula – surgido das lutas populares criou um Partido – o Partido dos Trabalhadores – e governou o País lutando firmemente para a conquista de um Brasil Democrático, Soberano e Socialmente Justo.

A Constituição de nosso País, fruto da derrota da ditadura militar que nos foi imposta pelo golpe de l964, dirigido e financiado pelo imperialismo norte-americano, a nossa Constituição, repito, tem entre seus princípios fundamentais o repudio ao terrorismo e ao racismo, bem como a defesa da paz e da nossa soberania.

Essa é a razão do porque o Governo do Presidente Lula, do porque o nosso Partido, como também o atual Governo da Presidenta Dilma Roussef, defenderam e defendem com todas as suas forças o soberano direito do Governo do Irã e do povo iraniano de desenvolver seu programa nuclear, por meio do enriquecimento do urânio, tendo em vista o aumento do seu potencial energético.

De nada valerão as mentiras e calúnias divulgadas por uma parte da mídia contra os lideres religiosos e políticos do Ira e contra o seu Governo. O povo brasileiro e também nosso atual Governo seguirá apoiando a soberania do Governo do Irã e respeitará, com base no principio da autodeterminação, de não ingerência nos assuntos internos de outros países, seus valores culturais e religiosos.

De nada valera a campanha terrorista, desencadeada pela mediática servil ao imperialismo, aos banqueiros de Wall Street e aos militaristas do Pentágono, contra todos os povos e países, como o Ira, que defendem sua soberania e valores nacionais.

Nesse sentido, caríssimos companheiros e participantes desse Primeiro Encontro Internacional contra o Terrorismo, tenham também a certeza que de que o povo brasileiro sempre dará total apoio aos que lutam contra o terrorismo e aos que defendem a soberania dos seus respectivos países.

Muito obrigado.

Ricardo Zarattini Filho – Partido dos Trabalhadores - Brasil.

*Fonte: Instituto João Goulart

terça-feira, 28 de junho de 2011

Sorocabana: má administração afunda hospital Sorocabana em dívidas

Sorocabana: má administração afunda hospital Sorocabana em dívidas
Instituição que já foi modelo de atendimento fecha seus 350 leitos e acumula pelo menos R$ 200 milhões em débitos. Vereador quer CPI


Nota do Blogueiro:  Minha avó materna se tratou no Hospital Central Sorocabana, lá eu nasci, frequentei o Pediatra e descobri que precisava de óculos! Minha irmã também nasceu lá... Enfim eu e ela frenquentamos ele até 2007 até os médicos que nos atendiam se mudarem, para outros Hospitais... É triste ver um Hospital que fez parte da minha vida e de tantas outras pesoas fechar as portas por causa de meia duzia de gente que não soube administra-lo! O pior é ver um Hospital Histórico que servia para tanta gente agora despedaçado... CPI JÁ!

Por Jornal Brasil Atual


O Hospital Central Sorocabana fechou suas portas depois de acumular dívidas e não pagar seus funcionários (Foto: Divulgação) 
 
O vereador petista Carlos Neder, da Câmara Municipal paulistana, acusa o gestor da Associação Beneficente dos Hospitais Sorocabana (ABHS), da Lapa, Carlos Alberto de Amorim Pinto, que assumiu o cargo em fevereiro, de ser incapaz de administrar a entidade. Segundo  Neder, Amorim recebeu mais de R$ 200 milhões da Prefeitura e continua negociando com ela em nome da Associação e do Hospital Central Sorocabana.  “É uma pessoa sem os requisitos mínimos de decência e de probidade para lidar com recursos públicos”, diz Neder. “Ele tem duplicidade de CPF e está (em situação) irregular na Receita Federal”, completa.

Neder é autor de um requerimento – feito no ano passado, quando cumpria mandato de deputado estadual – para que uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) investigue o fechamento do Hospital Sorocabana, que funcionava com recursos do SUS e acumulou dívida superior a R$ 200 milhões. Ele foi fechado em setembro do ano passado.

Este ano, Luiz Cláudio Marcolino, outro deputado estadual petista, entrou na briga. Ele protocolou um ofício para o governador Geraldo Alckmin com o objetivo de saber, entre outras coisas, como o governo estadual avalia o fechamento do complexo hospitalar, erguido num terreno do Estado. “Com o encerramento das atividades do Hospital Central Sorocabana, eu quero saber quais as medidas que o Governo do Estado tomou em relação a essa questão” – diz o deputado.

O Ministério Público Estadual acompanha a crise do hospital desde 2010 e já vetou a renovação de um acordo entre a Prefeitura e o Sorocabana. A unidade acumula dívidas trabalhistas e com fornecedores. “A nova direção nada tem a ver com esses  problemas.”

No auge de suas atividades, o hospital chegou a atender 20 mil pacientes por mês; quando fechou, atendia dois mil. A demanda sobrecarrega agora o pronto-socorro da Lapa, que não tem como dar conta também das consultas da população local.

O início e o fim
O Hospital Central Sorocabana iniciou suas atividades em 1955, na Rua Faustolo, na Lapa. O imóvel era do Governo do Estado, que o transferiu, no ano seguinte, para a Associação Beneficente dos Hospitais Sorocabana, com cláusula de proibição de venda.

O objetivo do hospital era atender os funcionários da Ferrovia Paulista S/A – FEPASA. Credenciado pelo Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social – INAMPS –, nos anos 60, passou a integrar o Sistema Único de Saúde (SUS) tornando-se ao longo dos anos um dos mais importantes hospitais de atendimento público. No entanto, após sucessivas crises administrativas, ele encerrou suas atividades em 2010.

Dúvidas que não se calam

As causas que levaram o Hospital Sorocabana à insolvência são inúmeras. Há denúncias de irregularidades registradas em reportagens na mídia e levadas ao Ministério Público para providências. Dívidas trabalhistas, com fornecedores, prestadores de serviços e outros atingem a cifra de dezenas de milhões de reais. As seguintes dúvidas pairam sobre a instituição:
  • Quais foram os recursos transferidos do Tesouro Estadual para o Hospital Central Sorocabana nos últimos dez anos? 
  • O Governo do Estado conhecia os problemas administrativos envolvendo a instituição? Quais foram as medidas legais adotadas? 
  • Qual a situação legal do imóvel ocupado pelo Hospital Central Sorocabana?
  • Prevê-se a devolução do imóvel à Fazenda do Estado em caso de interrupção das atividades hospitalares ou dissolução da entidade beneficente? Com o encerramento das atividades do Hospital Central Sorocabana, que medidas o Governo do Estado tomou em relação a essa questão?
  • Quais são as ações do Governo do Estado para manter o referido hospital em operação?

segunda-feira, 20 de junho de 2011

De Novo “Essa Gente Diferenciada”?

Começo a semana postando este excelente Artigo do Sérgio Eduardo Mendonça, Diretor do nosso querido Corinthians!!!  Segue o Artigo:

De Novo “Essa Gente Diferenciada”? 
 
Por Sérgio Eduardo Mendonça de Alvarenga

O verdadeiro patrulhamento que tem se visto a respeito do estádio de futebol que o Corinthians pretende construir no distante Itaquera parece assemelhar-se com a demonstração de preconceito contra “gente diferenciada” que, recentemente, se manifestou no próximo Higienópolis, em episódio que, de tão recente e notório, dispensa rememoração.

A origem de parte das manifestações contrárias à construção do estádio, lá, parece ser a mesma que motivou um abaixo-assinado de um pequeno grupo contra a construção de uma estação do metrô, aqui: preconceito contra a tal “gente diferenciada”. Assim deduzo por não encontrar qualquer outra explicação lógica. Evidentemente, não me refiro às manifestações motivadas por paixão/ódio clubístico. Essas só têm espaço nas discussões de boteco e não em discursos que se pretendem sérios.

Refiro-me àqueles que se posicionam contrariamente adotando uma posição de guardiões do dinheiro público. Essa é a máscara a esconder a verdadeira motivação e a tentar emprestar um caráter respeitável à indignação. Na imensa maioria dos casos, porém, não sabem nem do que se fala. Em pouquíssimos, mesmo sabendo-se, o preconceito parece falar mais alto. Segundo o planejamento, a receita para a construção do estádio vem de duas fontes: financiamento do BNDES e incentivos fiscais.

Pois bem. Financiamento é como um empréstimo. Ou seja, o Corinthians terá que pagar cada centavo desse dinheiro emprestado, e com juros. E essa não é uma possibilidade concedida exclusivamente ao Corinthians, mas também, e não apenas, aos 12 estádios que sediarão partidas da Copa do Mundo. Aos interessados: basta entrar no site do BNDES para ver se atendem aos requisitos, que são públicos. A coisa é tão óbvia que, quanto a esse ponto, a gritaria tem sido pequena, restrita apenas aos totalmente ignorantes.

O ponto que tem gerado maior barulho dos zeladores do dinheiro público é o do incentivo fiscal. Incentivo fiscal, genericamente falando, é mais um corolário da própria garantia da igualdade, assegurada pela Constituição Federal. É mais um instrumento voltado à distribuição de renda e atenuação das desigualdades.

No modo de produção capitalista, os ideais de igualdade e distribuição de renda passam, obrigatoriamente, pelo desenvolvimento econômico. Cabe ao Estado, consoante orientação Constitucional, agir de forma proativa, fomentando o desenvolvimento em áreas carentes. Nesse contexto se insere o incentivo fiscal, seduzindo particulares a investirem em lugares, até então, pouco atrativos.

É fácil deduzir que não há aporte de dinheiro público. Há o aporte de dinheiro particular, com benefícios fiscais. E uma grande parte dos detratores do projeto não alcança sequer essa obviedade.
Os zeladores um pouquinho mais preparados argumentam que isso seria um sofisma. Não haveria aporte de dinheiro público, mas haveria redução de receita. Ou seja, dinheiro público não sairia, mas deixaria de entrar o que, nessa visão míope, seria a mesma coisa.

Mas não é. Esse raciocínio, sim, e que é um sofisma. Ignora uma questão evidente: o que deixa de entrar, na verdade, não entraria mesmo. Sem o incentivo fiscal, o particular simplesmente deixaria de investir no local, desinteressante economicamente que seria.
Esse é o ponto: o incentivo visa, essencialmente, desenvolver Itaquera, bairro que, é fácil constatar, não é daqueles tratados, historicamente, com mais carinho pelo Poder Público.

O Corinthians beneficia-se com esse incentivo? Sim, claro. Nada mais justo, aliás, já que, não fosse o estádio, a região continuaria pouco atrativa aos olhos de novos investidores, mesmo com incentivos fiscais. É a soma “estádio + incentivo” que levará dinheiro novo e o conseqüente desenvolvimento à região. E quem se beneficiará, em última instância, é o morador de Itaquera, seja ele corinthiano ou não.

Ora, não é legítimo que os habitantes de Itaquera tenham direito a uma moderna praça de esportes e lazer? O lazer é um direito social reconhecido desde a Declaração Universal dos Direitos dos Homens de 1948 (artigo XXIV). E, hoje, tem expressa previsão Constitucional (Art. 6º). Deve ele ficar restrito aos bairros mais nobres?

Não se pode ignorar, também, os reflexos indiretos da construção do estádio e do aumento de investidores no local. Surgirão incontáveis novos empregos e, reflexamente, novos impostos serão arrecadados. Há minucioso estudo elaborado por respeitadíssima consultoria internacional apontando que acabará se arrecadando muito mais do que se deixará de arrecadar com o incentivo. Isso sem falar na melhoria de trânsito na cidade como um todo, em função dos locais que permanecerão no bairro. E isso sem falar no legado da visibilidade internacional, com claros reflexos no turismo e negócios em geral, que São Paulo ganhará por hospedar a abertura da Copa do Mundo.

Os guardas do dinheiro público, provavelmente até inconscientemente, não se preocupam com Itaquera. Preferiam que esse dinheiro entrasse no cofre central – não entendem que não entraria – para ser aproveitado em outros bairros, mais próximos. O “pessoal diferenciado” não merece esse luxo, devem pensar. Não atinam que o aumento significativo no número de empregos na região segurará grande parcela dos “diferenciados” em Itaquera, mesmo. Ou seja, bem longe, como parecem querer.

Quem sabe, assim, aquele pequeno grupo não concorde com o metrô em Higienópolis?

Sérgio Eduardo Mendonça de Alvarenga é Diretor de Negócios Jurídicos do Sport Club Corinthians Paulista

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Artigo: "Twittando a Revolução Informacional"

Twittando a Revolução Informacional

Por Marcello Barbosa

Podemos afirmar que vivemos uma Revolução Informacional e que ela vai nortear a história do mundo por muitos anos e nós temos a oportunidade de vê-la nascer e sentir seus impactos, além de participar dela. Com a expansão da Internet, principalmente no Brasil que temos mais de 43 milhões de internautas ativos, sendo que este número deve aumentar e muito com os incentivos que o Governo Federal vem dando, por exemplo, a formulação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

Outro fator interessante é que o fenômeno das Redes Sociais (Em especial os Blogs, o Twitter e o Facebook), que por todo o mundo abalou Governos e foram ferramentas para lutar contra a Censura crescem a cada dia que passa. No Brasil as Redes Sociais tem feitos abalos desde a Copa do Mundo como, por exemplo, com a campanha “Cala a Boca Galvão” e nas eleições de 2010 podemos ver partidári@s dos candidat@s a Presidente se mobilizando virtualmente, são apenas dois exemplos, mas podemos relembrar a eleição do Presidente Obama dos EUA e agora recentemente o lançamento de sua Campanha para a reeleição.

A Internet e em especifico as Redes Sociais possibilitam que você possa escolher a sua Mídia, e também criar a sua mídia! Diferente das Grandes TV’s que não temos nenhum direito de opinar em sua programação, na Internet, no Twitter se você não está curtindo um Perfil basta deixá-lo de seguir! Você tem esse Direito e Poder! No Twitter você também encontra as grandes Marcas e pode usar deste espaço para criticar e dar opinião! Eu pessoalmente só resolvi um problema com a Telefônica depois que Twittei criticando ela!

Quando falo em criar nossa própria mídia temos diversas formas! Você cria seu Blog, seu Perfil no Facebook, no Orkut, no Twitter, seu Canal no YouTube e seu Flickr, você vai poder compartilhar com o Mundo seus pensamentos e apartir daí juntar mais gente que pensa parecido com você! No Blog você desabafa, critica todos os problemas do Mundo! Questiona seu Speedy lento, sua mãe que não deixa você sair e o final daquela novela! No Youtube você grava seu vídeo de repúdio e no Flickr você posta todas as imagens que representa o que você está sentindo!  No Facebook e no Twitter você divulga pra geral! Está criada sua mídia!

Em Junho de 2010 comecei uma experiência um pouco nerd (bem nerd!), porém nada muito diferente do que muitos já faziam. Deixei de comprar jornais e revistas que sempre comprei para acompanhar todas as notícias através do Twitter. De lá para cá percebi o quanto o Twitter pode ser útil no seu dia-dia.

De manhã, como todo brasileiro acordo cedo! Hehe! E quero saber como estão as notícias do dia, acesso meu Twitter pelo celular (Amo a modernidade!) e acompanho as twittadas dos Perfis de @RevistaForum @LuisNassif, @ConversaAfiada, @Folha_Poder, @RedeBrasilAtual, @Estadao, @Valor_Economico, @OperaMundi, @Brasil_de_Fato, @CartaCapital, @Caros_Amigos, @JornalMogiNews e @JornalDAT.

Com certeza você deve estar se perguntando: “Como ele lê tudo isso?”, lembro você que a principal característica da Internet é a rapidez, ou seja, quando acesso cada um desses perfis, cada noticia é um twette, assim fica fácil de ler o que me interessa e o que não me interessa eu posso descartar. Consigo ler nestes 11 perfis noticias nacionais e regionais e como cada um desses veículos de informação tem sua Linha Editorial com grandes diferenças, consigo me manter informado e garantir meu senso crítico! Conselho: Não existe Jornal neutro, todo jornal (impresso, televisivo ou Web) tem lado e defende um lado!

Depois de me informar, costumo publicar no Twitter as ultimas postagens do meu Blog (www.marcellobarbosa.blogspot.com) e aproveito para refletir um pouco, como adoro poesias, músicas e derivados eu sigo e indico os seguintes perfis @Chicolatras, @Pensador, @FrasesDeClarice, @FrasesRRusso, @Frase_Cazuza e @CitaRaul. Nesses perfis posso ler as principais citações de Mestres da Música Brasileira e de famosos Pensadores. Ou seja, tenho aí meu momento Cultura!

Na hora do almoço é um momento para acompanhar o Mercado de Trabalho! Como todo estudante de Jornalismo fico observando como anda a área de Comunicação, então sigo os seguintes perfis que têm como foco @ConquestOne, @VagasSP, @Trampos, @CruzeiroIndica, @Publicijobs, @Estagios, @NaLabuta, @TramposFreelas, @OsJornalistas e @Clubedoj. São perfis focados em vagas e estágios na Comunicação Social, além disso, sempre postam novidades da área, curso e bons artigos. Acompanho sempre esses perfis e são provas que a área da Comunicação Social é quentíssima!

Nesse meio tempo aproveito para interagir com quem eu sigo e com quem me segue! Afinal, ninguém é de ferro né? Lembro também que no Twitter, você está em uma Rede Social, você pode replicar cada noticia que lê e também comentar a noticia lida!

Como todo mortal também preciso sorrir! Dar aquela gargalhada fatal, então sigo alguns perfis muito interessantes! O @Pedreiro_Online, @FilhodoOCriador, @EsposaDoCriador, @OCriador e a @RealMorte. Se eu for falar de humor, o Twitter está cheio disso! Porém sigo apenas esses perfis que já me azem rir muito!

Como tod@s sabem, sou Militante Político e preciso saber o que nossas Autoridades falam e pensam. O Twitter nos dá essa oportunidade de acompanhar passo a passo o parlamentar que quisermos. Sigo muitos, porém vou transcrever aqui os principais: @DilmaBR, @JoseSerra_, @Padilhando, @Vaccarezza, @CarlosZarattini, @PauloTeixeira13, @JeanWyllys_Real. @GilbertoKassab_, @ZicoPrado, @VereadorDonato e @Rfalcao13.  São dez perfis muito diferentes, porém com muita informação e opinião!

E termino o dia voltando aos Perfis de Jornais e Blogs que citei acima! Quero aqui demonstrar o quanto o Twitter pode ser uma ferramenta de comunicação ágil, detalhada e de acordo com o perfil do usuário! Nele você consegue filtrar o tipo de informação que você acha necessária para você. O Twitter não é apenas ter ou não ter Seguidores, isso é conseqüência do que você posta e das pessoas que se relacionam com você.

Logicamente que complemento minha Rede com o Facebook, onde “curto” várias páginas e acompanho várias figuras públicas, além de ser uma ótima ferramenta para divulgação e troca de idéias. No passado as Comunidades do Orkut serviam bem para isso, principalmente para discussões, mas hoje elas estão perdendo essa função.

Para termos a visão do tamanho da Internet, é só vermos esses dados: A cada um minuto são criados 60 novos blogs; Mais de 168 milhões de emails são enviados; 320 novas contas são criadas no Twitter e 98.000 tweets são enviados; 600 vídeos são carregados para o Youtube; 695.000 atualizações de status, 79.364 posts e 510.040 comentários são feitos no Facebook.

Vamos viver intensamente essa Revolução Informacional, fazer parte dela e construí-la em nosso cotidiano!

*Marcello Barbosa, é Ativista Político, Blogueiro, Locutor do Programa Salada Mista na @RadioMaisOnLine, Diretor Geral da Agência Peregrine Falcon - Marketing Digital e estudante de Jornalismo.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Festival do Yakissoba em Prol da Associação Casa da Criança de Itaquá!


A Casa da Criança convida todos os nossos amigos e colaboradores para participar do Festival do Yakissoba.

Em Prol da Associação Casa da Criança Zenaide de Souza Lima, que será realizado no dia 18 de junho apartir das 19h00 no Kai-Kan em Itaquaquecetuba.

Convites a venda na Sede da Organização: Rua Benedito Fernandes da Cruz n° 60 - Centro de Itaquaquecetuba. Tel: 11-4642-7251.

Local do Evento: Kai-Kan - Av. Thevear s/n - Quinta da Boa Vista – Itaquaquecetuba

Valor do convite: R$12,00 se for  antecipado e no local R$ 15,00 (individual).

Contamos com a presença de todos!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

8 Lições Estratégicas do Poker Para as Mídias Sociais

8 Lições Estratégicas do Poker Para as Mídias Sociais

Por Danila Dourado

Vocês devem estar achando estranho o titulo do artigo. Devem ainda estar se perguntando o que é que tem a ver o poker e as mídias sociais. Interrogações à parte, a maior similaridade entre esses dois entornos é a constituição de ambientes de socialização. No entanto, a aproximação não termina por aí. Para obter apostas de êxito é preciso manter uma percepção ávida do outro. Dessa forma, é possível entender as motivações dos “jogadores”, e, a partir daí, traçar uma linha assertiva de atuação.

Apesar de não ser uma entendedora do poker, a minha ousadia me permite escrever um post inspirada em algumas dicas de Tony Hsieh, CEO e fundador da Zappos, em seu livro Satisfação Garantida. O autor, em suas aventuras Hold’em, descobre algumas estratégicas que potencializam o sucesso no jogo. Abaixo realizarei uma analogia entre o conteúdo exposto por ele e as diretrizes ideais (ou não) para uma boa gestão das mídias sociais:
  • Não entre em jogadas que você não entenda, mesmo se vir muitas pessoas ganhando dinheiro com elas – Respeite a cultura pré-estabelecida em cada plataforma social que resolver se integrar. Os usuários não enxergam com bons olhos empresas que querem empurrar sua marca guela abaixo sem fazer um esforço prévio para se adequar as regras determinadas pelo grupo. Agir com desconhecimento e soberba são equívocos inaceitáveis na cultura digital.
  • Não trapaceie. Trapaceiros nunca ganham em longo prazo – Nunca parta do pressuposto que os usuários não entendem do seu negócio ou que sua empresa só deve dar satisfação caso seja solicitada. Mais do que nunca a transparência é geradora de confiança. Lembra-se que enquanto sua marca tem apenas um canal para tentar manipular a informação, existe uma rede descentralizada disposta a desmascará-la.
  • Mantenha-se fiel a seus princípios – O posicionamento da marca nos ambientes interacionais online deve estar em consonância com os valores defendidos por ela. Se a sua marca não tem princípios bem definidos, reveja a sua participação nas mídias sociais. Em algum momento ela será colocada contra a parede, e a sustentação desses valores poderá evitar crises de reputação.
  • Seja flexível – Mesmo que exista um planejamento periódico de atuação nas mídias sociais, é preciso ter flexibilidade para realizar ajustes constantes à medida que a dinâmica dessas redes mudam.
  • Seja paciente e pense em longo prazo – Não é porque a Tecnisa vendeu um apartamento através do Twitter, ou a Dell conseguiu gerar mais de 1 milhão  de receita com sua participação no microbloging, que a sua empresa terá um retorno imediato nas mídias sociais. Não se iluda! Como já explicado em uma publicação anterior, o ROI das mídias sociais deve ser calculado em longo prazo. Principalmente porque exige muito investimento na construção dos relacionamentos.
  • Os jogadores mais perseverantes e concentrados geralmente ganham – Pode parecer clichê, mas a gestão das mídias sociais é coisa séria. É preciso estabelecer objetivos, determinar estratégia, monitorar sua marca e a dos seus concorrentes, verificar métricas de avaliação de resultados…Enfim, é um trabalho que exige muita dedicação para obter algum tipo de feedback.
  • Diferencie-se – É necessário realizar um benchmark constante para acompanhar as tendências do mercado digital. Contudo, uma prática infalível é escutar os usuários, eles lhe dará insigths eficientes que, somados a criatividade e recursos inovadores, ampliará a experiência com a marca.
  • Não se deixe “abater” – Em algum momento sua marca será alvo de críticas. O velho ditado popular “Nem Jesus agradou a todos” também é válido para as plataformas sociais. No entanto, as estratégias apontadas nos tópicos 2 e 3 serão essenciais na gestão de uma crise de reputação.
Por fim, é imprescindível entender que “o jogo começa mesmo antes de se sentar na cadeira”. Ele começa quando você decide em que mesa irá sentar. Se quer sentar na mesa das empresas que estão dispostas a mudar sua cultura corporativa e descentralizar os processos, ou na mesa das corporações tradicionais que mantém uma gestão vertical. Sim, o sucesso nas mídias sociais está diretamente ligado ao modelo de gestão do seu negócio.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

"Soneto do Amigo"

Uma linda poesia para este fim de semana....

Soneto do Amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...
Vinicius de Moraes
Ocorreu um erro neste gadget

Simplicidade é Tudo...

Simplicidade é Tudo...
A Complexidade é Simples...