quarta-feira, 30 de novembro de 2011

40 Motivos Para Se Casar Com Um Jornalista

Nota do Blogueiro: Galera, bisbilhotando Blogs por aí no Maravilhoso Mundo da Internet, achei um Blog muito bom, o da Ariane Fonseca e nele achei esta postagem muito bacana! Não apenas uma boa postagem mas uma postagem que condiz com a realidade!Discordo de alguns pontos, mas vale apena ler!

Hahahahahahahahaha!!!  >.<

40 Motivos Para Se Casar Com Um Jornalista

Segue a lista:
  1. Jornalista geralmente é criativo, ele vai surpreender você quando menos esperar;
  2. São curiosos e antenados, você sempre ficará por dentro de tudo que acontece;
  3. Eles não ganham bem, mas isso é bom porque vocês podem aprender a economizar dinheiro;
  4. No Natal, Ano Novo, Carnaval… eles provavelmente estarão na redação. Mas, pense pelo lado positivo: antes trabalhando do que vagabundando;
  5. E outra! Trabalhando muito, eles não têm tempo de se interessar por outra pessoa;
  6. Eles não são bons de matemática, mal sabem somar e subtrair; mas, para que saber isso se são os mestres da escrita?;
  7. Acostumados com pautas, são bem organizados e planejam bem as coisas antes de fazê-las;
  8. Como é fissurado por fontes, quando você tiver uma ótima ideia, ele não vai dizer aos amigos que foi coisa da cabeça dele. Dará todas as honras para você!;
  9. Como vivem numa rotina corrida, não tem muito tempo para opinar nas coisas da casa. O que você fizer, ele vai achar lindo;
  10. Tudo é um grande brainstorm (tempestade de ideias). Monotonia não vai entrar na sua casa!;
  11. Quando vocês brigarem, ele não vai achar que a opinião dele é a melhor. Tem que ouvir todos os lados de um fato, ele saberá analisar a situação!;
  12. Em coberturas de grandes eventos, você poderá entrar de gaiato. Cada final de semana em um lugar diferente: jogos de futebol, avenida de escola de samba, lançamento de livros…;
  13. Mantêm revistas e jornais no banheiro. Você nunca ficará olhando para o vácuo enquanto faz suas necessidades fisiológicas. Ganhará conhecimento!;
  14. Idolatram pessoas totalmente desconhecidas (o seu Zé, a Dona Maria, o Juquinha…) Todos com ótimas histórias de vida que vocês podem usar no cotidiano também para se tornarem pessoas melhores!;
  15. Não vai faltar café na sua casa. Café e jornalista são praticamente sinônimos;
  16. Ele pode escrever os votos matrimoniais da sua irmã, criar o conteúdo do site de negócios do seu pai, ensinar sua mãe a tirar fotos das amigas nos eventos do bairro. Ele aprende de tudo um pouco e gosta de compartilhar!;
  17. Tudo para o jornalista tem uma explicação. Eles nunca vão se contentar com a primeira versão de um fato. Você sempre terá uma resposta, mesmo que demore;
  18. São ótimos investigadores. Se alguém no trabalho passar a perna em você, rapidinho ele descobre quem é!;
  19. Como trabalham muito, não tem tempo para beber demais, fumar, se envolver com drogas… Você terá um companheiro saudável!;
  20. Tá bom, vai… eles não costumam comer coisas muito saudáveis. Mas se você for legal e fizer comida para ele levar ao trabalho, isso se resolve rapidinho, não é? =);
  21. Suas viagens nunca serão monótonas! Se acontecer qualquer movimento estranho, ele vai logo querer saber o que é e infiltrará você junto para desvendar o problema;
  22. Amam roupas leves e simples no dia a dia. Você não vai gastar muito dinheiro com isso;
  23. Mas também sabem se arrumar bonitinhos para os eventos. Você terá um parceiro que sabe ser simples, mas também sabe arrasar. Tudo vai depender da ocasião;
  24. A agenda é o seu melhor amigo. Mas, não fique com ciúmes! Pense pelo lado positivo, nunca vai esquecer nenhuma data importante, porque tudo fica rigorosamente descrito lá;
  25. Eles não ficam irritados com “nãos”, afinal, estão acostumados com assessorias de imprensa que não querem divulgar os bafões. Você não terá um companheiro irritado, mas, em compensação ele não vai desistir até conseguir o que quer. Mas só de não se grosso já vale, não é!?;
  26. Como são antenados, também sempre ficam sabendo das novidades tecnológicas primeiro. Às vezes, até ganham de presente para testar a ferramenta. Você terá tudo em primeira mão na sua casa;
  27. Eles não se importam com calor, chuva, trovões… afinal, precisam estar onde a notícia está! Você poderá ir na praia com 50 graus tranqüila ou aquela viagem dos sonhos pode se tornar um pesadelo no caos de São Paulo que ele não vai blasfemar. Ainda vai dar risada da situação;
  28. Acham que podem salvar o mundo com uma matéria. Olha que sensibilidade!;
  29. Eles sempre sabem tudo todo o tempo;
  30. Gostam de música para acalmar;
  31. Leem livros raros, histórias para crianças e semiótica… Seus filhos serão super dotados se depender dele;
  32. Sua vida social é infinitamente grande. Você nunca poderá reclamar que não conhece gente nova;
  33. Eles estão acostumados com coisas chatas e sabem contorná-las muito bem. O casamento nunca vai virar algo monótono;
  34. Eles gostam de camisas com estampas de alguma brincadeira sobre algo atual. Suas amigas vão ficar com inveja do seu companheiro inteligente;
  35. Eles sempre têm uma opinião sobre qualquer coisa na face da Terra. Durante uma conversa entre amigos, vocês nunca ficarão apagados;
  36. A maioria gosta de virar psicólogo, técnico de futebol e médico às vezes. Você terá um companheiro mil e uma utilidades;
  37. Por causa da profissão, são forçados a aprender mais de um idioma. Você vai ouvir “Eu te amo” em, pelo menos, umas três línguas diferentes;
  38. A primeira coisa que seu filho vai aprender é que a informação é a alma do negócio. Com dois anos, sua fofurinha vai saber o que é aquecimento global, mercado financeiro e já saberá criticar políticos;
  39. Gostam de mudar de cidade, estado e até de país. Você conhecerá muitos lugares!;
  40. Assistem documentários e vão a museus o tempo todo, não importa o que seja. Ô cultura!

Depois de Séculos, Finalmente as Donas de Casa São Lembradas!

Nota do Blogueiro: Hoje a mulher tem cada vez mais conquistado seu espaço na Sociedade, ocupando importantes espaços no trabalho, na família e na política, porém ainda existem mulheres que são "Donas de Casa", que ocupam-se de cuidar da casa para que o marido trabalhe e os filhos estudem, isso não as diminuem na Sociedade, mas elas que sempre se doaram nunca foram devidamente valorizadas e nunca tiveram direitos de fato.

Houve um avanço em direitos para as Donas de casa mas falta aprovar o PLC 81/2011 no Senado da atual ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que prevê a extensão do benefício às donas de casa, de modo análogo ao que acontece com trabalhadores do meio rural, assim vamos fazer justiça a essas Guerreiras do dia-dia


Renda às donas de casa  


O Ministério da Previdência lançou uma campanha para que donas de casa de baixa renda se inscrevam na Previdência Social. O objetivo é incentivá-las a contribuir com 5% do valor de um salário mínimo (R$ 27,25) por mês para garantir o direito a uma aposentadoria e à seguridade social. Ao se inscrever, a pessoa passa a ter direito a benefícios como salário-maternidade e auxílio-doença. Para a aposentadoria, é preciso contribuir por 15 anos e ter pelo menos 60 anos.

6 milhões de cidadãs

É muito comum que, ao se perguntar a uma dona de casa qual é seu trabalho, ela responda que "não faz nada". Ou diz que "trabalha no lar" ou algo do gênero. Como se o trabalho prestado no ambiente de casa não fosse uma labuta a ser considerada, ainda mais relacionada a uma atividade fundamental para a família e para a sociedade.

Ver mudar essa mentalidade, que atinge até essas próprias pessoas, é uma notícia boa. Melhor ainda é o poder público perceber a necessidade de agir de modo distinto. No fundo, garante-se a essas trabalhadoras os mesmos direitos de toda a população.

Para assegurar os direitos, é necessário ter dedicação exclusiva ao trabalho doméstico e viver em uma família cuja renda seja de até R$ 1.090, equivalentes a dois salários mínimos, e ser inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6 milhões de mulheres enquadram-se no direito.

Um projeto (PLC 81/2011) no Senado da atual ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, prevê a extensão do benefício às donas de casa, de modo análogo ao que acontece com trabalhadores do meio rural. A proposta reduz as exigências para se ter acesso ao direito, criando uma gradação por quatro anos. As donas de casa que tivessem 60 anos ou mais no período de transição poderiam se aposentar com a partir de 24 meses de contribuição. Esse período seria estendido até os atuais 180 meses.

O Brasil tem uma grande dívida social com o povo. As donas de casa estão entre as pessoas que prestam serviços relevantes e que merecem reconhecimento. A campanha do governo para divulgar a possibilidade de acesso aos direitos é uma boa notícia para o país.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Do Conversa Afiada: "Ley de Medios. PT não precisa de seminário. Governe!"

Nota do Blogueiro: Tenho que concordar com o Paulo Henrique Amorim! Está na hora da Presidenta Dilma ter pulso e enviar para o Congresso a Lei do Marco Regulatório das Comunicações! Não apenas enviar ao Congresso mais priorizar que esta Lei seja aprovada! Não podemos aceitar a forma que a Comunicação é tratada no Brasil, hoje a Comunicação virou Mercadoria e arma da Elite! A Comunicação é um Direito! Tenho saudades do Franklin Matins no Ministério...

Ley de Medios. PT não precisa de seminário. Governe !

Diz o meu amigo Miro Borges que o PT fez um importante seminário sobre o marco regulatório da mídia.
Pode ser.
Não estou aqui para discordar do Miro.
Mas, tenho outra perspectiva.
O PT é governo.
Governa o Brasil há nove anos.
Nenhum partido apanhou mais do PiG (*) do que o PT.
E, agora, nove anos depois, o PT faz um seminário.
Seminário para estudar o que ?
Pergunte ao Nunca Dantes o que é sofrer na mão do PiG.
Não se ouvir a voz do Nunca Dantes no jornal nacional.
O Alberico editar o debate com o Collor.
O Ali Kamel (mais poderosos que o Alberico, mil vezes) levar a edição de 2006 para o segundo turno (e o desastre da Gol que fique para a Band …).
Pergunte à Dilma como é que o Casal 45 a entrevistou.
Estudar o que ?
Seminarar mais o que ?
Precisa estudar mais o que ?
A Confecom já estudou o que tinha que estudar e propôs o que tem que ser feito.
Alguma dúvida ?
Copia a legislação dos Estados Unidos, onde impera o capitalismo selvagem, na sua essência.
O PT governa.
Quem governa tem que mandar uma Ley de Medios para o Congresso e lutar por ela.
E, não, fazer como o Ministro Bernardo, do PT, que foge do seminário do PT.
Por que Bernardo fugiu ?
Porque o PT não pode se sentar em torno de uma mesa para governar sobre o PiG (*).
O Nunca Dantes passou 90 minutos do jogo a contemporizar com o PiG (*).
Nos acréscimos, ele pediu ao Franklin para fazer uma Ley de Medios.
O Franklin entregou ao Ministro Bernardo.
Bernardo disse uns desaforos ao Franklin e colocou a Ley de Medios do Franklin embaixo da pilha onde estão sepultadas as Leys de Medios que o Sergio Mota fez para o Farol de Alexandria.
Cascata.
Todo petista, no fundo da alma, gostaria de poder chamar o João de João (João é o primeiro nome de um dos filhos do Roberto Marinho, que, em geral, não têm nome próprio).
Se o PT quer enfrentar o PiG, governe.
Governar significa mandar.
Quem estuda é a oposição.
O PT tem medo da Globo.
O resto é o luar de Paquetá, diria o Nelson Rodrigues, que entendia de luar e da Globo.
Em tempo: é indispensável ler o artigo de Sergio Lirio, na pág. 76 da Carta Capital: “Para ganhar no grito”.
“Regulação da mídia – Como o fantasma da censura invocado constantemente pelos meios de comunicação tornou-se a mais escancarada censura.”
“A mídia brasileira não quer se discutir, nem deixa discutir”, diz o ex-ministro Franklin Martins, que defende uma base para o debate: a Constituição.”
Clique aqui para ler “Franklin Martins: a discussão sobre a Ley de Medios está na Constituição” e aqui para ler, deste ansioso blogueiro, no mesmo seminário da Ajuris, em Porto Alegre: Comunicação – o Brasil é a ditadura perfeita”.
Paulo Henrique Amorim
(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
 

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Itaquaquecetuba é a 3ª Cidade Que Mais Arrecada em Impostos no Alto Tietê!

Nota do Blogueiro: Nesta matéria publicada no Diário do Alto Tietê de hoje, nossa Cidade Itaquaquecetuba, é a terceira Cidade que mais arrecadou nestes 11 meses na região (só perde para Mogi das Cruzes e Suzano), somando uma arrecadação de  487,8 milhões de reais. É fato que nosso Sistema Tributário é ultrapassado e sobrecarrega a população, por isso é necessária uma urgente Reforma Tributária, porém enquanto ela não sai, devemos cobrar insistentemente que todo este montante seja investido a favor do povo!

É inaceitavel sermos a 3ª Cidade em arrecadação e uma das ultimas em IDH (Indice de Desenvolvimento Humano) na região do Alto Tietê. 

Clique aqui e veja exemplos de como gastar mal o dinheiro público!

Em 11 Meses, Região Arrecada R$ 3,2 Bilhões em Impostos

As dez cidades do Alto Tietê somaram uma arrecadação de impostos de aproximadamente R$ 3,2 bilhões entre o dia 1º de janeiro e 23 de novembro deste ano. As informações são Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que disponibiliza os dados de todas as cidades do País por meio do Sistema Permanente de Acompanhamento das Receitas Tributárias, conhecido como Impostômetro. O levantamento considera todos os valores arrecadados pelas três esferas de governo, sendo eles, impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e correção monetária. Os valores foram levantados pelo DAT até 17 horas de ontem.

Mogi das Cruzes é a cidade que apresenta maior arrecadação, sendo R$ 885,8 milhões, seguida por Suzano (R$ 618,3 milhões), Itaquaquecetuba (R$ 487,8 milhões), Poá (R$ 407,8 milhões), Ferraz de Vasconcelos (R$ 262,9 milhões), e Guararema (R$ 202,9 milhões). Salesópolis aparece como o município que menos arrecadou, somando R$ 34,7 milhões em 11 meses.

No site do Impostômetro é possível saber o que poderia ser feito com o valor pago pelos contribuintes e uma média de quanto cada habitante pagou no período analisado. No caso de Mogi, por exemplo, o valor pago por morador é de pouco mais de R$ 2,2 mil. Com os R$ 885 milhões arrecadados em 2012, seria possível comprar 32,8 mil carros populares.

De acordo com a assessoria de Imprensa da ACSP, até 15 horas de ontem o País alcançou a marca de R$ 1,3 trilhão em tributos federais, estaduais e municipais arrecadados desde o início do ano. O indicador de carga tributária bateu o recorde histórico anual de R$ 1,2 trilhão (volume de arrecadação obtido ao fim de 2010).

"A arrecadação deve crescer 20% em comparação com 2010, sem uma contrapartida na melhoria dos serviços públicos", explicou o presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Rogério Amato, em nota distribuída pela assessoria de Imprensa. A previsão da Associação Comercial paulistana é de que a arrecadação em contribuições, impostos e taxas em 2011 ultrapasse a marca do R$ 1,5 trilhão.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Recadin!

Galera, por conta da minha falta de tempo, vocês devem ter percebido que diminui o número de postagens no Blog, porém a partir da próxima semana vou voltar a postar periódicamente coisas novas por aqui!

Obrigado pela atenção!

Marcello Barbosa

Reflexão de Gibran Khalil Gibran: "Sou um estrangeiro nesse mundo"

Sou um estrangeiro nesse mundo

Sou um estrangeiro, e há na vida do estrangeiro uma solidão pesada e um isolamento doloroso. Sou assim levado a pensar sempre numa pátria encantada que não conheço, e a
sonhar com os sortilégios de uma terra longínqua que nunca visitei. 

Sou um estrangeiro para meus parentes e amigos. Quando encontro um deles, penso:
"Quem é ele? Onde o encontrei? Que me une a ele? Por que me aproximo dele e o freqüento?" 

Sou um estrangeiro para minha alma. Quando minha língua fala, meu ouvido estranha-lhe a voz. Quando meu Eu interior ri ou chora, ou se entusiasma, ou treme, meu outro
Eu estranha o que ouve e vê, e minha alma interroga minha alma. Mas permaneço desconhecido e oculto, velado pelo nevoeiro, envolto no silêncio. 

Sou um estrangeiro para o meu corpo. Todas as vezes que me olho num espelho, vejo
no meu rosto algo que minha alma não sente, e percebo nos meus olhos algo que minhas profundezas não reconhecem. 

Quando caminho nas ruas da cidade, os meninos me seguem, gritando: "Eis o cego,
demos-lhe um cajado que o ajude." Fujo deles. Mas encontro outro grupo de raparigas que me seguram pelas abas da roupa, dizendo: "É surdo como uma pedra. Enchamos seus ouvidos com canções de amor e desejo." Deixo-as, correndo. Depois, encontro um grupo de homens que me cercam, dizendo: "É mudo como um túmulo, vamos endireitar-lhe a língua." Fujo deles com medo. E encontro um grupo de velhos que apontam para mim com dedos trêmulos, dizendo: "É um louco que perdeu a razão ao freqüentar as fadas e os feiticeiros." 

Sou um estrangeiro, e já percorri o mundo do Oriente ao Ocidente sem encontrar minha
terra natal, nem quem me conheça ou se lembre de mim. 

Acordo pela manhã, e acho-me prisioneiro num antro escuro, freqüentado por cobras e
insetos. Se sair à luz, a sombra do meu corpo me segue, e as sombras de minha alma ma
precedem, levando-me aonde não sei, oferecendo-me coisas de que não preciso, procurando algo que não entendo. E quando chega a noite, volta para casa e deito-me numa cama feita de plumas de avestruz e de espinhos dos campos. 

Idéias estranhas atormentam minha mente, e inclinações diversas, perturbadoras,
alegres, dolorosas, agradáveis. À meia-noite, assaltam-me fantasmas de tempos idos. E almas de nações esquecidas me fitam. Interrogo-as, recebendo por toda a resposta um sorriso. Quando procuro segura-las, fogem de mim e desvanecem-se como fumaça. 

Sou um estrangeiro neste mundo. Sou um estrangeiro, e não há no mundo quem conheça uma única palavra do idioma da minha alma. 

Caminho pela selva inabitada, e vejo os rios correrem e subirem do fundo do vale ao
cume da montanha. E vejo as árvores desnudas se cobrirem de folhas, e florirem, e frutificarem, e perderem suas folhas num só minuto. Depois, suas ramas caem no chão e se transformam em cobras pintalgadas. 

E as aves do céu voam, pousam, cantam gorjeiam e depois param, abrem as asas e
viram mulheres nuas, de cabelo solto e pescoços esticados. E olham para mim com
sensualidade. E estendem suas mãos brancas e perfumadas. Mas, de repente, estremecem e somem como nuvens, deixando o eco de risos irônicos. 

Sou um estrangeiro neste mundo. 

Sou um poeta que põe em prosa o que a vida põe em verso, e em versos o que a vida
põe em prosa. Por isto, permanecerei um estrangeiro até que a morte me rapte e me leve para minha pátria... 

Gibran Khalil Gibran

Artigo: "Alunos analfabetos"

NOTA DO BLOGUEIRO: Excelente Artigo do Companheiro Frei Betto! Nele fica claro como a desigualdade social está aliada à desigualdade educacional. 

Alunos Analfabetos 

Por Frei Betto

No primeiro semestre deste  ano, aplicou-se a Prova ABC (Avaliação Brasileira do Final do Ciclo de  Alfabetização) em turmas de alunos que concluíram o 3o ano do ensino  fundamental, em todas as capitais do país. Uma iniciativa do movimento Todos  pela Educação com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas  Educacionais Anísio Teixeira).

O resultado é alarmante.  Constatou-se que 43,9% dos alunos são deficientes em leitura e 46,6% em  escrita. Ou seja, são semialfabetizados. Não captam o significado do que leem  e redigem uma simples carta com graves erros de sintaxe e concordância.

Quanto à leitura, quase metade (48,6%) dos alunos da rede  pública correspondeu ao resultado esperado. Na rede de escolas particulares, o  desempenho foi bem melhor: 79%. No item escrita tiveram bom resultado apenas  43,9% do alunos da rede pública. Na rede particular, 86,2% dos alunos se  saíram bem em redação.

Os índices demonstram que, no Brasil, a  desigualdade social se alia à desigualdade educacional. Alunos da rede  pública, oriundos, na maioria, de famílias de baixa renda, não trazem de berço  o hábito de leitura. Seus pais possuem baixa escolaridade e o livro não é  considerado um bem essencial a ser adquirido, como ocorre em famílias de renda  mais elevada.

De qualquer modo, é preocupante o fato de alunos,  tanto da rede pública quanto da particular, não atingirem 100% de  alfabetização ao concluir o 3o ano do ensino fundamental. O que demonstra  falta de método de alfabetização, embora esta seja a nação que gerou Paulo  Freire.

Uma criança que, aos 8 anos, tem dificuldade de leitura  e escrita, sente-se incapaz de lidar com os textos de outras disciplinas  escolares, o que prejudicará seu aprendizado. Uma alfabetização incompleta  constitui um incentivo ao abandono da escola ou a uma escolaridade medíocre.

É hora de se perguntar se a progressão automática, isto é, fazer  o aluno passar de ano sem provar estar em condições, é uma pedagogia  recomendável. Com certeza, no futuro, o adulto com insuficiente escolaridade  não merecerá aprovação automática em empregos que exigem concurso e  qualificação.

Priscila Cruz, do Todos pela Educação, frisa a  importância da educação infantil (creches, jardim da infância etc.) para dar à  criança uma boa alfabetização. Para que se desperte na criança a facilidade de  síntese cognitiva é importante que ela comece a ouvir histórias ainda no  ventre materno.

O Brasil é um país às avessas. A Constituição de  1988 cometeu o erro de incumbir a União do ensino superior, o estado do ensino  médio, e o município do ensino fundamental. Ora, uma nação se faz com  educação. E a base reside no ensino fundamental. Dele devia cuidar o  MEC.

Nenhum governo implementou, ainda, a revolução educacional  sonhada por Anísio Teixeira, Lauro de Oliveira Lima, Paulo Freire e tantos  outros educadores. Como acreditar que apenas 4 horas de permanência na escola  são suficientes para uma boa educação? Por que os alunos não permanecem de 6 a  8 horas por dia na escola, como ocorre em tantos países?

No  Brasil, 10% da população adulta é considerada analfabeta. No Chile, 3,4%. Na  Argentina, 2,8%. No Uruguai, 2%. Em Cuba e na Bolívia, 0%.

Outros fatores que contribuem para a semialfabetização são o  desinteresse dos pais pelo desempenho escolar do filho e o longo tempo que  este dedica à TV  e a navegar aleatoriamente na internet. Nessa era  imagética, há o sério risco de se multiplicar o número de analfabetos  funcionais ou de alfabetizados iletrados, aqueles que sabem ler, mas não  interpretar o texto, e muito menos evitar erros primários na  escrita.

O governo deve à nação uma eficiente campanha nacional  de alfabetização, inclusive entre alunos dos 3º e 4º anos. Para isso, há que  ter método. Há vários. Quem se interessar por um realmente eficiente, basta  indagar do deputado Tiririca como ele se alfabetizou em dois meses, a tempo de  obter seu diploma na Justiça Eleitoral.

Frei Betto é  escritor, autor de “Alfabetto – autobiografia escolar” (Ática)

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Palavras a Serem Ditas Neste 11/11/11

Hoje no dia 11/11/11 as 11h11 (Como estamos no horário de verão são as 12h11), quero registrar aqui algumas coisas simples e importantes...

Este fenômeno do “11” acontece somente a cada 100 anos, ou seja dificilmente todos que estão vivenciando ele hoje, vai vê-lo de novo! Seu significado é simples, o 11 é um número Mestre, um número que representa o equilíbrio das forças e ao mesmo tempo a dualidade, o positivo e o negativo, o homem e a mulher...
Mas vamos ao que interessa!

Nesta data quero registrar uma poesia, um trecho do Filme “V de Vingança”, não pela história do Filme, mas pelas belas palavras de Valerie:

"Sei que vou morrer aqui, cada pedacinho de mim vai morrer, exceto um... A integridade. Ela é pequena e frágil e é a única coisa no mundo que ainda vale a pena se ter. Jamais devemos perdê-la ou entregá-la, nunca devemos deixar que a tirem de nós. Eu espero que seja quem for escape deste lugar, espero que o mundo mude, que a situação melhore. Mas o que eu mais quero que você entenda o que estou dizendo quando falo que apesar de não conhecer você, apesar de talvez nunca encontrar você, rir com você, chorar com você ou beijar você, eu te amo de todo o meu coração. Eu te amo!" (Palavras de Valery)

Sabe por que disso tudo? Para mim infelizmente o tempo é muito relativo, tudo passa muito rápido, as coisas mudam no momento que ainda estou as conhecendo, o tempo parece areia que se esvai pelas mãos... Até os Deuses são Escravos do Tempo, mesmo com a eternidade arrogante deles, mesmo assim eles são reféns e sabem que com o Tempo não se brinca...

Imagine o quanto do nosso precioso tempo nós perdemos? Pessoas que deixamos partir, amizades que se desmancham, crenças que desaparecem, borboletas que passam por nós e nem ao menos valorizamos sua beleza... Nossa Sociedade caminha para o abismo da Superficialidade, o Príncipe Ablank, quando se rebelou contra os Deuses já previa isto, cabe a nós não errarmos em nossa caminhada para que não deixemos para traz as coisas que realmente valem à pena... Afinal o Tempo é o Senhor da Verdade e o Juiz dos Errantes..

Quero registrar palavras bonitas aqui para que esse dia único que só se repete secularmente possa ser mais especial do que o esperado!

Se você foi marcado (a) nesta publicação, saiba que por algum motivo te considero você importante em minha trajetória de vida...

Quem sabe não nos trombamos daqui 100 anos né?

"As quatro coisas que não voltam para trás: A pedra atirada, a palavra dita, a ocasião perdida e o tempo passado." ( Autor Desconhecido )

Itaquaquecetuba, 11 de novembro de 2011.

D. Marcello Barbosa

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

89% dos jovens têm orgulho de ser brasileiro, aponta pesquisa

Os jovens brasileiros estão mais esperançosos com o futuro do país. Quem chega a essa conclusão é a empresa de mapeamento de tendências Box1824, que entrevistou 3000 garotos e garotas entre 18 e 24 anos, de todas as classes sociais, para descobrir o que eles pensam sobre o país e sobre a sua geração. O estudo, que faz parte do projeto intitulado “O Sonho Brasileiro” e demorou um ano e meio para ser concluído, constatou que 89% dos jovens têm orgulho de ser brasileiro, sendo que 76% acreditam que o país está mudando para melhor. Os dados são positivos e revelam bastante otimismo entre as 25 milhões de pessoas que fazem parte desta faixa etária atualmente.

O levantamento mostra que esses números são resultados de diversos fatores. No campo social, isso se deve a esse grupo ter crescido no período pós-ditadura, imerso em novas tecnologias e com a inflação controlada. Diante da situação econômica mais promissora, o jovem encontra um país cada vez mais importante no cenário internacional, pronto para superar crises, além de ser escolhido para sediar grandes eventos esportivos.

A cara da nova geração
Mas, se o país vai bem, qual é a cara da juventude, associada normalmente a movimentos de ruptura? No passado, ela enfrentava realidades distintas. Nos anos 1960, o jovem tinha sonhos grandiosos e utópicos. A geração seguinte possuía sonhos possíveis, porém individualizados. A atual tem desejos alcançáveis e quase sempre focados no coletivo. Desses jovens, por exemplo, 77% acreditam que o seu próprio bem-estar depende da satisfação da sociedade em que vive. “É dever do cidadão pensar no coletivo”, afirma o estudante Felipe Gonçalves Guimarães, de 18 anos.

A pesquisa, antes mesmo de constatar o otimismo com o país, provocou os jovens a refletirem sobre os anseios pessoais. Assim como Felipe, cujo maior sonho é ser bem-sucedido nos cursos de Cinema e Publicidade e Propaganda, a maioria, 55%, cita como primeira opção o desejo de se formar e conseguir emprego. Outros 24% logo escolhem alcançar o trabalho dos sonhos. Mais uma constatação dos pesquisadores é a de que essas pessoas querem fazer aquilo que gostam e não pensam apenas no dinheiro. Roberto Moreira Lage Júnior, de 20 anos, estuda direito, mas coloca a vontade de se sentir realizado profissionalmente na frente da estabilidade financeira. “Fazer o que dá dinheiro, mas não dá prazer, pode vir a se tornar insuportável”, acredita.

Esse pensamento é compartilhado por Gabriel Vasques, 18 anos, que afirma categoricamente: “Meu maior sonho é conseguir viver de música”. Para ele, a realização pessoal é o mais importante. “Estou colocando como prioridade aquilo que gosto, não faço questão de um salário absurdo para me sentir realizado”, acrescenta. O que a pesquisa mostra é que essa geração não nega questões como dinheiro e estabilidade, mas a diferença é que não se contenta só com isso e quer unir a realização pessoal com a profissão dos sonhos. “Fazer o que gosta, mas não ter condições de sobreviver, também não é possível”, pondera Roberto. A percepção é de que os profissionais mais admirados são os que conseguem aliar trabalho e felicidade.

Sonhos para o Brasil
Quando o tema em pauta é o país, e não o indivíduo, 18% sonham com menos violência, seguido pelos 13% que citam a necessidade de menos corrupção. Gabriel se encaixa nesse quadro e acredita que o desvio de verba pública acontece em quantidade absurda e deseja a diminuição dessa realidade. Para mudar o que está errado, o estudo aponta o próprio jovem como catalisador do progresso, isso porque historicamente essa faixa de idade busca ampliar suas liberdades de escolha e expressão ao revolucionar costumes.

Dentro do grupo pesquisado, 56% acreditam que a transformação será alcançada agindo com honestidade no dia a dia, e outros 30% por meio das oportunidades que o Brasil oferece. Todo o otimismo em relação à nação surge com os 87% que acham o país importante no mundo atual. O curioso é que o jovem acredita no Brasil, mas não atribui o progresso a nenhum partido político. A pesquisa mostrou que eles, além de apontarem os problemas, já enxergam as maneiras pelas quais podem atuar pela mudança, que parte do desejo individual para alcançar o coletivo.

As recentes manifestações anticorrupção que pipocaram pelo Brasil refletem essa realidade. As mobilizações surgiram a partir de ambientes digitais, como o Facebook, pela livre iniciativa de indivíduos cansados da impunidade. No ambiente da internet, acharam outras pessoas com o mesmo pensamento e assim o movimento ganhou forma e tomou as ruas. Em nenhuma dessas marchas houve a participação de partidos políticos. Isso não significa uma geração despolitizada, já que 71% dos jovens acreditam que usar a internet para mobilizar as pessoas é uma forma de fazer política.

O diferencial para qualquer outro tempo é a maneira pela qual essas manifestações começaram, o que reflete o novo jeito de se relacionar. Por isso, são considerados a primeira geração global de brasileiros. Eles não veem barreiras na comunicação e enxergam a tecnologia como espaço para trocas sem limites físicos ou sociais, assim seus anseios pessoais são expostos em rede e outras pessoas se identificam e começam a se mobilizar. Essa característica é definida pelo projeto Sonho Brasileiro como hiperconexão. “A internet é, hoje em dia, o meio de comunicação que mais influencia os jovens, o papel dela é primordial”, salienta Gabriel.

Os jovens-ponte
De acordo com a pesquisa, os jovens-ponte são os formadores de opinião e equivalem a 8% das pessoas entre 18 e 24 anos. São dois milhões de brasileiros nessa condição. E o principal diferencial é que eles convivem com grupos bastante distintos e levam o que aprendem de um para o outro, redistribuindo os pensamentos e conectando pessoas que não se falariam espontaneamente. O projeto as define como catalisadores de ideias.

Outra característica é que essas pessoas não aceitam discursos preconceituosos, porque acreditam que essa ponte deve ser feita entre diferentes realidades. Como esse jovem transita por muito mais grupos do que a média, age por múltiplas causas, está aberto a trocas e não defende bandeiras unidimensionais. Felipe, que se relaciona com mais de seis grupos, acredita que se encaixa nesse perfil. “Quando converso sobre política, por exemplo, sempre tento mostrar os dois lados.”

Segundo o estudo, a geração atual é menos individualista e está cansada de hierarquia. Não à toa, 74% afirmam se sentir na obrigação de fazer algo pelo coletivo no seu dia a dia e a profissão dos sonhos mais citada foi “ser dono do próprio negócio”. Seus anseios estão mais alcançáveis por acreditarem em pequenas revoluções no dia a dia. Todo esse processo é exemplificado pela simples frase de Gabriel: “A juventude e a mudança estão ligadas.”

*Fonte: IG Jovem

Marcha Contra a Corrupção em Itaquaquecetuba!

Marcha contra a corrupção em Itaquaquecetuba!

Galera está na hora de mostrarmos nossa indignação com a atual administração de Itaquaquecetuba!

Somos convidados para shows, baladas em geral etc. Agora devemos ir para as Ruas questionar o Poder Público de Itaquaquecetuba!

Data: 15/11/2011 a partir das 13h00
Local: Praça Padre João Álvares - Centro

Vamos começar agora a cobrar a verdadeira democracia começando por nós aqui em Itaquaquecetuba. Convide seus amigos e vamos levar vassouras para representar a faxina que queremos fazer em nossa Cidade!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Poesia da semana: "Eu Escrevi um Poema Triste"

Meses atrás, uma flor foi reencontrada em um jardim cinzento, hoje está flor se foi novamente...

Eu Escrevi um Poema Triste 

Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...

Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

Mário Quintana

Seguir Em Frente Para Construir uma JPT do Tamanho de SP!

“Por um mundo onde sejamos socialmente iguais, 
humanamente diferentes e totalmente livres”
(Rosa Luxemburgo)
Companheirada,
Quero agradecer a Tod@s @s Companheir@s que compuseram a Chapa Socialista ao II Congresso Estadual da JPT-SP que me apoiou na Disputa para a Secretaria Estadual da JPT-SP.

Nessa Chapa consolidamos um Campo Amplo e Plural com os Companheiros do Novo Rumo, PTLM, Movimento PT, Inaugurar Um Novo Período, Articulação de Esquerda, Esquerda Socialista, Militância Socialista, Esquerda Marxista, Mensagem ao Partido e Militantes Independentes!

Valeu a Luta Companheiros! Nosso Saldo Político Foi enorme e agora temos a tarefa de construir a JPT-SP por todos os cantos do Estado! Temos a tarefa de consolidar nosso discurso na prática pelos próximos anos!

Não ganhamos a Secretaria Estadual da JPT-SP, mas fizemos deste II Congresso, um Momento Histórico na Composição da Chapa Socialista, criando um Movimento de Esquerda, Progressista e Plural! Além disso conseguimos fazer o bom debate de idéias!

Obrigado a Tod@s e Vamos a Luta Construir uma JPT do Tamanho do Estado de São Paulo!!!
É Radicalizar Para Avançar!!! 
Marcello Barbosa
Ocorreu um erro neste gadget

Simplicidade é Tudo...

Simplicidade é Tudo...
A Complexidade é Simples...