quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Ponta a Ponta! Parque Residencial Marengo: Duas realidades em um único bairro

Texto publicado na Editoria "Ponta a Ponta" do Jornal Contraponto. Edição 03.

Parque Residencial Marengo: Duas realidades em um único bairro

O Parque Marengo possui uma divisão imaginária entre “Marengo Alto” e “Marengo Baixo” por ter duas situações sociais diferentes. Essa divisão além de não ser oficial, é repudiada por alguns moradores
*Marcello Barbosa

O Parque Residencial Marengo, é um bairro distante do centro de Itaquaquecetuba, e faz divisa com o município de Suzano. Algumas pessoas mais antigas nomeiam a região composta pelo Parque Residencial Marengo, Chácara Holiday, Jardim Félix e Milton, Vila Augusta e Residencial Horto do Ipê, como região do “Sítio Mato Dentro”.

A origem do bairro remonta os loteamentos pertencentes a Família Marengo, colocados a venda a 30 anos atrás. Atualmente é uma das áreas com maior vulnerabilidade social do município, além disso ainda existem áreas ocupadas de forma irregular e tem como maior desafio a infraestrutura. Em especifico, os moradores convivem na divisa entre Itaquaquecetuba e Suzano com um córrego que se não for constantemente desassoreado e limpo pela Prefeitura Municipal, em época de chuva acaba causando enchentes na região.

Atualmente é costume entre alguns moradores dizer que existem dois “Marengos”. O Marengo Alto, onde a infraestrutura é mais completa e se concentra os espaços públicos do bairro e o Marengo Baixo que faz divisa com Suzano e ainda possui pouca infraestrutura, inclusive a maior parte desta região não é asfaltada e possui sérios problemas de saneamento básico.

Para o pedreiro Luiz Otávio que mora a 10 anos no Parque Marengo “Dividir o bairro em dois é uma falta de respeito com os moradores. Quando um vereador vem aqui e fala de Marengo Alto e Marengo Baixo, você percebe o preconceito e a falta de conhecimento dele. Na prefeitura existe registrado um bairro apenas, chamado Parque Residencial Marengo.” Luiz comenta isso com indignação, pois segundo ele, o bairro tem essa divisão justamente pela falta de investimentos do Poder Público na região.

No bairro existem diversas entidades organizadas, entre elas se destaca a Casa Criança Esperança Nossa Senhora do Monte Ibérico que atua a 15 anos no atendimento às crianças com problemas de desnutrição, se utilizando em especifico da farinha multi mistura. Atualmente a Casa se encontra fechada para reforma e manutenção, pois semanas atrás ela foi alvo de ladrões que furtaram seus materiais. Inclusive diversos moradores protestaram sobre este problema de insegurança e violência nas redes sociais.


Maria de Lourdes Bortotti, moradora do Parque Residencial Marengo a 30 anos, comenta que a Casa Criança, tem contribuído bastante nos últimos anos para diminuir a desnutrição infantil no bairro. Além disso relata que apesar do bairro ser grande e populoso, ainda existe um problema sério com a falta de infraestrutura. “Apesar de nosso bairro ter crescido em número de comércios e também em asfaltamento de ruas, ainda precisamos de muita coisa, como por exemplo, espaços de lazer para os jovens e principalmente mais vagas em creches e escolas do Marengo.” Lourdes completa falando que a população da região é atuante e isso é um grande ponto positivo para o bairro.

Um comentário:

Comente, Mas Não Desrespeite!!!
Me Reservo ao Direito de Não Publicar Comentários Anônimos Que Denigrem, Atacam ou Caluniam Terceiros.

Ocorreu um erro neste gadget

Simplicidade é Tudo...

Simplicidade é Tudo...
A Complexidade é Simples...