terça-feira, 14 de outubro de 2014

Prefeitura de Itaquaquecetuba segue desrespeitando os professores municipais

Prefeitura de Itaquaquecetuba segue desrespeitando os professores municipais
Na semana que comemoramos o Dia do Professor, os professores de Itaquaquecetuba não têm nada a comemorar
Marcello Barbosa
Em Itaquaquecetuba temos uma Secretaria de Educação que até o momento teve apenas uma grande realização. Mudar seu nome! Que conseguiu fazer como grande obra inaugurar Escolas que eram de Governos anteriores e por fim, tem apresentado diversos programas e projetos que não são de sua autoria, mas de convênios com o Governo Federal e Governo do Estado.
Nesta Edição o Jornal Contraponto e o Portal do Alto Tietê faz um balanço do descaso da atual administração com os professores municipais, nesta semana do Dia do Professor, queremos homenagear este profissional, mostrando para a população o descaso sofrido pela classe.
Secretária encastelada

Na Edição 56 do Jornal Contraponto onde citamos alguns dos problemas em nossa rede municipal de educação, vários leitores que também são funcionários deste setor fizeram uma reclamação em comum, o afastamento da chefe da pasta no cotidiano das escolas da cidade. As denuncias apresentadas são que a Secretária Municipal de Educação Maria do Carmo Fernandes da Costa Filha não costuma visitar as escolas e por isso não consegue entender os problemas da educação municipal. Outro fator que contribui para que muitos problemas aconteçam é que a Secretária de Educação não recebe educadores, ou pais de aluno, ou até mesmo Diretores, ocasionando assim um distanciamento do funcionalismo público.

Falta democracia

De acordo com os professores, a Secretaria Municipal de Educação forma equipes de estudos, chamados de “GET” e Comissões de estudo, exemplo é a comissão que é responsável pela elaboração do Edital de Remoção e Atribuição, esses grupos são compostos de profissionais indicados pelo Governo Municipal, sem eleição entre os pares, sem participação de membros do Conselho Municipal de Educação ou professores da rede municipal no exercício de suas funções como professores.

Plano de carreira não sai do papel

A Secretaria de Educação enviou às Escolas Municipais o documento Minuta de Projeto do Plano de Carreira, afirmando ser o documento concluído pela Comissão instituída pela portaria n. 73.583/2013 para elaborar o Plano de Carreira Municipal dos professores da rede. Cada unidade escolar protocolou considerações para alteração do documento Minuta de Projeto do Plano de Carreira na Secretaria Municipal de Educação, no documento foi estipulado um prazo para devolutiva com as devidas considerações até o dia 22 de setembro deste ano, porém a resposta ou o documento alterado não foram enviados às Unidades Escolares. Até a presente data não aconteceram as devolutivas e a Secretaria se calou diante das revindicações dos professores.

Prefeito passa por cima da Comissão de Professores

O Prefeito Mamoru Nakashima (PTN) alegando querer discutir o Plano de Carreira Municipal dos professores sem interferência política, decidiu que no dia 16 de outubro vai se reunir com cinco professores que tenham mais de 20 anos de serviço para fazer essa discussão. Esses profissionais foram selecionados pelo Sindicato, porém muitos professores procuraram o Jornal alegando que esta forma de discutir o Plano de Carreira excluiu os professores com menos tempo de serviço, muitos que inclusive estão na rede a 10 anos, não serão ouvidos.

Forma de Atribuição de aulas atrapalha professores

Professores que entraram em contato com a equipe do Jornal também denunciaram a nova forma de atribuição de aulas. Segundo uma educadora “Queremos que o processo de atribuição deste município deve continuar sendo efetuado por escala na sede (Unidade escolar), para todos os professores efetivos na rede pertencentes ao quadro do magistério, e não escala geral, para os professores especialistas, como comunicou a Secretária de Educação, Maria do Carmo da Costa Filha.”

Como a Secretária de Educação não atendeu os professores, foi organizado um abaixo-assinado para tratar deste assunto.
Sindicato se omite!

Mais de 200 professores solicitaram ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais que fosse realizada uma paralisação, o Sindicato ignorou este pedido. E como citado anteriormente, o próprio Sindicato escolheu 05 Educadores com mais de 20 anos de serviço (Sem consultar seus pares) para negociar com o prefeito o Plano de Carreira Municipal, excluindo educadores que têm menos tempo de magistério.

*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, Mas Não Desrespeite!!!
Me Reservo ao Direito de Não Publicar Comentários Anônimos Que Denigrem, Atacam ou Caluniam Terceiros.

Ocorreu um erro neste gadget

Simplicidade é Tudo...

Simplicidade é Tudo...
A Complexidade é Simples...